Doutor Jairo
Leia » Saúde mental

Sono irregular aumenta risco de depressão a longo prazo, diz pesquisa

A pesquisa é mais uma a relacionar sono, humor e risco de depressão
A pesquisa é mais uma a relacionar sono, humor e risco de depressão - Freepik

Redação Publicado em 18/02/2021, às 18h30

Um novo estudo realizado pela Universidade de Michigan e publicado no NPJ Digital Medicine sugere que ter horários irregulares de sono pode aumentar o risco de depressão a longo prazo. Da mesma forma, dormir pouco, em geral, ou permanecer acordado até tarde na maioria das noites, também amplia as chances de desenvolver um quadro depressivo.

De acordo com a equipe de pesquisadores, pessoas que acordam cada dia num horário diferente podem ter mais mau humor do que indivíduos que vão dormir muito tarde e acordam cedo. 

Como foi feito? 

O estudo monitorou o sono e o humor de mais de 2.100 médicos no primeiro ano de residência. O grupo foi escolhido porque esta fase do curso é caracterizada por dias longos de trabalho intenso e horários irregulares dos plantões. Esses fatores dificultam uma rotina de sono definida. 

O acompanhamento aconteceu durante duas semanas antes de os estudantes iniciarem a residência, e quatro meses depois. As informações foram colhidas através de dispositivos usados no pulso dos participantes. Cada médico precisou relatar seu humor diariamente por meio de um aplicativo de smartphone e, ainda, foi submetido a testes trimestrais para identificar sinais de depressão

Segundo a equipe, esse tipo de tecnologia traz grandes benefícios às pesquisas, já que  permite estudar fatores comportamentais e fisiológicos, incluindo o sono, tudo em uma escala maior e mais precisa. Através deles, é possível registrar o sono durante longos períodos de tempo sem ter que levar as pessoas para um laboratório. 

Resultados 

Os residentes que tinham horários de sono variáveis eram mais propensos a apresentar uma pontuação maior em questionários de sintomas depressivos e a ter classificações de humor  mais baixas.

 Aqueles que ficavam acordados até tarde com frequência, ou dormiam menos horas, também pontuaram mais em sintomas depressivos e mau humor. Os resultados reforçam os de outros estudos que demonstram uma associação entre sono, humor e risco de depressão a longo prazo, além de confirmar a probabilidade de depressão entre os médicos em início de carreira.

Para os pesquisadores, ter bons hábitos de sono e horários consistentes para dormir e acordar é algo que tem sido subestimado. Isso porque dormir bem não é só um caminho para o bem-estar, como também um meio de se evitar a depressão a longo prazo.