Doutor Jairo
Testeira
Colunas / Lilian Akemi Ota » Estética facial

"Desarmonização" facial e tatuagem por impulso: dá para reverter o estrago?

A possibilidade de remover o preenchimento depende do produto usado, do local e do objetivo - Freepik
A possibilidade de remover o preenchimento depende do produto usado, do local e do objetivo - Freepik

Lilian Akemi Ota Publicado em 11/05/2021, às 19h23

A febre da “harmonização facial” – termo popularizado por figuras em evidência na mídia e criado por certos profissionais da área da odontologia têm chegado a um limite tão vulgar quanto perigoso, quando se trata de tratamentos que, à princípio, deveriam embelezar e rejuvenescer saudavelmente mas causam transformações que muitas vezes levam ao arrependimento.

O meio médico ético (que inclui grande parte dos médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos) e a população têm visto com perplexidade os absurdos realizados por profissionais  desqualificados, que se valem dos veículos da mídia para se autopromover e vender seus tratamentos.

Falta de ética e de bom senso

O negócio e a mercantilização virou um interesse maior e chegou a tal ponto, que sobrepõe à qualquer noção de ética profissional ou preocupação com o ser humano e sua saúde.

A noção de beleza parece ter mudado nos últimos tempos, e exatamente movido e estimulado pelas horrorosidades que fazem sucesso nas redes sociais.

O triste é que, muitas vezes, por falta de bom senso ou informação fidedigna, a pessoa é induzida a querer este padrão, porque, afinal, todo mundo está fazendo.

E aí, depois de exagerar em tudo e virar um clone, com a cara ou boca inchada e igual a de milhares de outras pessoas, bate o arrependimento. Dá para reverter o estrago?

Depende.

Preenchimentos

Primeiro é necessário saber o que foi feito e com o quê. Ou seja, qual o local da aplicação, quais substâncias utilizadas e se foi para fazer contornos, aumento da área, sustentação ou estimular a produção de colágeno.

Se o produto aplicado foi o ácido hialurônico, pode-se ficar um pouco mais tranquilo, pois, existe um antídoto: a hialuronidase - que degrada o ácido hialurônico que foi injetado.

Já outros produtos inabsorvíveis ficam para sempre e a chance de se ter complicações à curto, médio e longo prazo são enormes. Incluem-se nesta lista: polimetil metacrilato (PMMA), silicones de todos os tipos e metacrilatos.

Esses produtos podem gerar efeitos indesejáveis graves como úlceras, edema e vermelhidão permanentes, nódulos e abscessos ou desencadear doenças autoimunes.  Muitas vezes, somente a retirada cirúrgica (que deixa cicatrizes) poderá melhorar o problema causado.

Implante de fios

Se o efeito indesejado foi devido ao implante, é necessário saber qual foi o fio colocado.

Fios russos são fios de polipropileno. Atuam ancorando-se nos tecidos, pois possuem ganchos, são muito difíceis de serem retirados e somente com cirurgia isso é possível. Em muitos casos, os fios migram e perfuram a pele.

Fios de sustentação com ácido poliláctico, à princípio, são absorvíveis, porém, quando mal colocados, eles podem ficar visíveis, criando um aspecto estranho e marcando a pele onde foi aplicado.

Toxina botulínica

Muitas vezes, a aplicação da toxina botulínica também cria efeitos indesejados, como uma sobrancelha muito elevada, resultando no aspecto de face demoníaca (como o personagem principal do filme “O iluminado”).  Mas, calma, para isso há tratamento. É possível reverter com a aplicação de um pouco mais de toxina em certos pontos que ocasionarão o rebaixamento da sobrancelha.

Casos de pálpebras caídas são mais difíceis de se tratar. Pode-se aplicar um colírio específico mas o retorno ao normal só mesmo após uns 4 a 6 meses.

Outras complicações, como assimetrias ou paralisias, são totalmente reversíveis, mas só após acabarem os efeitos da toxina.

Bichectomia

Outro procedimento amplamente realizado, principalmente por mulheres mais jovens, é a bichectomia. Este é um procedimento cirúrgico que retira a gordura, ou bola de Bichat, que se localiza na região das bochechas. Sua retirada torna o rosto mais “magro” e fino.

Pode parecer um procedimento inócuo, porém, no futuro, quando a paciente ficar mais velha, a retirada dessa gordura pode acarretar o envelhecimento precoce, com queda dos tecidos adjacentes e desabamento da face por falta de suporte.

Como evitar problemas

Quando feito por médico gabaritado e com experiência técnica e científica, os problemas ocorrem mas com muito menos frequência e, quando acontecem, o médico com capacidade técnica e conhecimento total está apto a solucionar o problema e não desampara o paciente, como se tem visto ultimamente.

Nos consultórios médicos, onde a saúde do paciente vem em primeiro lugar, os tratamentos visam ao rejuvenescimento saudável e adequado a cada tipo de pele e idade. Não são feitas essas bizarrices que vemos estampadas na mídia.

O tratamento deve tornar a pessoa mais bela e com aspecto mais jovial, mas ela continua com sua própria identidade e características que a fazem única neste Universo.

Por isso, ao pensar em fazer qualquer procedimento estético procure um médico de confiança! Exija o certificado de especialização em dermatologia ou de cirurgia plástica. É seu direito saber para quem está entregando sua saúde.

Não arrique a sua saúde por causa de uma propaganda ou vídeo tentador. Existem técnicas mercadológicas, hoje em dia, para “agarrar” a pessoa incauta, além do apelo por melhorias estéticas sensacionais.

E as tatuagens?

Hoje em dia existem vários aparelhos a laser que retiram com maior facilidade as tatuagens na cor preta. Entretanto, se forem muito extensas ou muito preenchidas, retirá-las totalmente pode dar mais trabalho, além de exigir mais tempo e dinheiro.

As tatuagens coloridas são difíceis de ser retiradas completamente; podem deixar algum tipo de cicatriz e não sair totalmente. Pigmentos amarelos, vermelhos, brancos e azuis, nos seus vários tons, são mais difíceis de ser removidos e demandam várias sessões.