Pular para o conteúdo

Marília Mendonça recebe críticas sobre sua aparência nas redes sociais; como isso afeta a saúde mental?

Da Redação

9/10/2020 11:52




Marília Mendonça decidiu colocar um ponto final nas especulações sobre mudanças no seu rosto, nesta sexta-feira (9).

A cantora vem sendo alvo de críticas após seu nariz afinar em algumas fotos.

“Semana passada lidamos com a polêmica no Instagram. A galera começou a falar que eu tinha feito intervenção cirúrgica no meu rosto. ‘Ó meu Deus, Marília Mendonça! Quase não a reconheci, o que será que ela fez?’ ou ‘Nem parece mais a mesma’, ‘Ó meu Deus, será que ela vai cantar do mesmo jeito agora?’. Essa semana o problema é meu nariz”, começou ela em seu Stories.

mariliamendoncacantora 119771571 1022955088158674 3724940479507015331 n 1 1024x683 - Marília Mendonça recebe críticas sobre sua aparência nas redes sociais; como isso afeta a saúde mental?
Crédito: Instagram/@mariliamendonca

Ela continuou dando risadas dos rumores e afirmou que o problema é genético. “Mas vocês tem que decidir: Ou eu fiz rinoplastia, harmonização facial, ou não fiz. E a galera que está incomodada com meu nariz, que reclame com a minha mãe. O problema foi com ela. Se vocês vissem meu pai, que está no céu, já, iam falar: ‘Melhor ter puxado a mãe, mesmo'”, ressaltou.

Mendonça aproveitou a oportunidade para fazer um apelo aos seguidores: “Eu vivi minha vida todinha deste jeito. Me encheram o saco de um monte de coisa, que se eu não fizesse não ia ser sucesso. Primeiro eu fui lá, fiz sucesso, e depois quando tive vontade de fazer as coisas de estética, fui e fiz. Para mostrar que não tem nada a ver uma coisa com outra”.

“Eu sou dona da minha vida. Se um dia eu tiver vontade, vou fazer. Se eu não tiver vontade, não vou. É isso, é simples”, finalizou.

Afeta a saúde mental?

Segundo um estudo australiano, as redes sociais têm feito adolescentes terem transtornos alimentares em idade cada vez mais precoce. Feito por pesquisadores da Universidade Flinders, a pesquisa envolveu cerca de 1.000 adolescentes de 12 a 14 anos de escolas particulares.

Foram constatados que 75,4% das garotas e 69,9% dos garotos tinham conta em pelo menos uma rede social, sendo o Instagram a mais utilizada. Metade da amostra tinha menos de 13 anos de idade, a idade mínima recomendada para o uso da plataforma. Muitos participantes também utilizavam o Snapchat.

Quanto mais tempo os entrevistados passam nas mídias sociais, maior a frequência de comportamentos e pensamentos consistentes com transtornos como anorexia, bulimia ou vigorexia (obsessão em ganhar músculos). Isso é no que os pesquisadores acreditam. Os dados foram publicados no periódico International Journal of Eating Disorders.

A equipe ressaltou que é preciso aumentar a resiliência dos jovens para os impactos provocados pelas mídias sociais, por isso está lançando, na Austrália, um programa com o objetivo de conscientizar adolescentes e adultos jovens, chamado “Media Smart Online”.

Veja também:

Assista, também, a outros vídeos no meu canal no YouTube

Leia mais

10 dicas para diminuir a encanação com o corpo ou a comida

Transtorno alimentar tem surgido mais cedo; de quem é a culpa?

Como controlar o tempo de tela dos filhos durante a quarentena?

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS