Doutor Jairo
Leia » Tecnologia

Com a pandemia, educação digital de crianças virou prioridade

A alfabetização digital é a habilidade de entender e usar corretamente as informações da internet
A alfabetização digital é a habilidade de entender e usar corretamente as informações da internet - Freepik

Redação Publicado em 15/03/2021, às 16h20

Há coisas na vida que é preciso aprender antes de começar a usar, não é mesmo? Os pais, por exemplo, nunca dariam aos filhos as chaves do carro sem que eles tivessem passado pelo processo da autoescola e tirado carteira de motorista.

Segundo um estudo da Universidade Estadual de Iowa (Estados Unidos), essa deveria ser a mesma atitude de pais e educadores em relação ao acesso de crianças e adolescentes ao mundo digital. 

Pandemia potencializou os riscos

O artigo, publicado no periódico Nature Human Behaviour, revelou como a pandemia de Covid-19 pode ter acelerado a necessidade de se implementar um padrão global de alfabetização digital, ou seja, fornecer às crianças recursos para que elas usufruam de todas as possibilidades encontradas na internet com segurança.

Quando as crianças estão no ambiente digital, elas estão expostas a vários riscos e, segundo o estudo, o isolamento social acabou aumentando essa vulnerabilidade. A pandemia trouxe um acréscimo do tempo em que os jovens gastam em frente às telas e eles estão utilizando a internet mais do que nunca.

De acordo com a equipe, se crianças e adolescentes não receberem treinamento ou educação para saber o que procurar e como utilizar as informações fornecidas pela internet, talvez estejam sujeitas a ainda mais riscos. 

Um problema de escala mundial

[Colocar ALT]
Seu filho está viciado em internet? - Confira como identificar os sinais de dependência tecnológica

Foram analisadas respostas de mais de 145 mil crianças e adolescentes de 30 países ao redor do mundo. Os pesquisadores descobriram que 60% dos participantes foram expostos a riscos como cyberbullying, dependência de games ou algum tipo de violência. 

Com os resultados, os estudiosos enfatizam que esse é um problema mundial e não apenas específico de uma determinada população. Por isso, é fundamental buscar uma solução que também seja global.

Primeiros passos

O Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos (IEEE) -  organização profissional sem fins lucrativos dedicada ao avanço da tecnologia em benefício da humanidade - aprovou o chamado “DQ framework”  como padrão para a educação digital. O método se concentra em educar habilidades digitais em competências diferentes: identidade, uso, segurança, inteligência emocional, alfabetização, comunicação e direitos. 

Para os pesquisadores, a aprovação é apenas o primeiro passo em busca da inclusão da educação digital em salas de ensino fundamental. Isso porque é importante que os alunos tenham acesso às ferramentas necessárias para se tornarem cidadãos digitais experientes e preparados, principalmente em um contexto de aumento dos riscos e da desinformação

A alfabetização digital não eliminará os perigos que a internet oferece, mas ajudará na formação de bons cidadãos digitais que tenham as habilidades para estar inclusos no ambiente digital, consigam obter os benefícios que ele apresenta e saibam identificar riscos.

Segundo os estudiosos, sempre haverá informações falsas na internet. Porém, com a educação e alfabetização digital, as crianças e adolescentes terão capacidade de identificar ou se proteger de mentiras.

Um bilhão de pessoas em 10 anos 

A equipe envolvida no estudo está recrutando pesquisadores para participarem e apoiarem o "Projeto de Habilidades Digitais de 1 Bilhão”. Como o próprio nome diz, a iniciativa busca capacitar 1 bilhão de pessoas - especialmente estudantes do ensino fundamental, professores e pais - com habilidades digitais dentro de um prazo de 10 anos.

Entre os objetivos do projeto estão: 

  • Criar uma rede global para desenvolver e implementar educação e treinamento de habilidades digitais 
  • Desenvolver um sistema de certificação capaz de avaliar programas de habilidades digitais 
  •  Criar uma plataforma de avaliação on-line para medir as habilidades digitais 

De acordo com os pesquisadores, para alcançar esses objetivos será necessário um investimento estadual e federal. Entretanto, o retorno é duplo: ao fornecer treinamento em educação digital, os responsáveis não só protegem as crianças dos riscos online, como também ajudam a preparar a futura força de trabalho, já que cada vez mais empregos fazem parte do ambiente digital.