Doutor Jairo
Leia » Saúde mental

Ortorexia: conheça os principais sinais do transtorno alimentar

Uma pessoa ortoréxica se preocupa excessivamente com o impacto que o alimento terá no organismo
Uma pessoa ortoréxica se preocupa excessivamente com o impacto que o alimento terá no organismo - iStock

Redação Publicado em 18/06/2021, às 18h30

Os transtornos alimentares mais lembrados são, normalmente, a anorexia nervosa e a bulimia. Mas a ortorexia também faz parte desse grupo, sendo um quadro descrito desde o final dos anos 90. 

A pessoa que sofre com ortorexia apresenta uma preocupação exagerada e desmedida com a qualidade da alimentação, com a atenção voltada para nutrientes e calorias. Ela desenvolve uma fixação com tudo o que come, desde a escolha dos alimentos, os ingredientes e como é feita a preparação de cada um deles - se é natural, gorduroso ou tem muito sal, por exemplo. 

Assim, a pessoa acaba perdendo totalmente os pontos positivos relacionados à alimentação, como o sabor, o prazer e o convívio social no momento da refeição. Em vez de aproveitar, passa a ter uma obsessão com o que está ingerindo e se aquela comida oferece algum tipo de risco ou impacto negativo para o seu organismo.

Confira:

Quais sinais chamam a atenção? 

Existem alguns padrões de comportamento que podem indicar que uma pessoa está desenvolvendo ou tem um quadro de ortorexia. São eles: 

  • Preocupação exagerada com a questão da imagem corporal;
  • Preocupação desmedida com a qualidade dos alimentos e muito critério na hora de se alimentar;
  • Gasta muito tempo lendo os rótulos de todos os alimentos em detalhes;
  • Exclui da alimentação sal, açúcar e gorduras (mesmo as saudáveis);
  • Elimina cada vez mais grupos alimentares da dieta (carnes, carboidratos com glúten etc);
  • Consome apenas alimentos orgânicos e livres de corantes e conservantes;
  • Preocupação excessiva com o modo de preparo dos alimentos, utensílios usados etc;
  • Gasta muitas horas diariamente planejando e preparando as refeições;
  • Começa a comer apenas alimentos preparados por si;
  • Sente culpa ou angústia quando ocorre um “escape” e, eventualmente, consome um alimento fora de casa, não seguindo os critérios “saudáveis” e de “pureza”

De qualquer forma, tanto a ortorexia quanto outros transtornos alimentares apresentam muitas dimensões e, por essa razão, é fundamental que a pessoa procure ajuda médica, nutricional e psicológica ou psiquiátrica. Profissionais dessas áreas podem trabalhar para uma avaliação completa.   

Veja também: