Doutor Jairo
Assista » Dúvida

Tive Covid-19 e comecei a ter problemas de ereção; o que fazer?

O pênis é composto por um tecido esponjoso que permite a entrada e saída de sangue
O pênis é composto por um tecido esponjoso que permite a entrada e saída de sangue - Arte

Redação Publicado em 15/04/2021, às 19h30

Tive Covid-19 e na reabilitação tenho feito exercícios para retomar a massa muscular. Mas não consigo mais ter uma ereção duradoura. Como eu posso trabalhar esse músculo para reativar a minha vida sexual?  

Essa situação tem sido descrita com alguma frequência por pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus. Principalmente aquelas que precisaram ficar muito tempo paradas ou hospitalizadas podem ter uma perda importante da massa muscular. 

Para voltar à vida normal, realmente é importante fazer exercícios sob a supervisão de um profissional com o objetivo de retornar a ganhar massa muscular. Seja em casa ou na academia, o ideal é fazer atividades que voltem a estimular a construção dos músculos. 

Tem músculo no pênis?

O segundo ponto importante é relacionado à dificuldade de ereção depois da Covid-19. Tem algum exercício específico que você pode fazer para voltar a ter as ereções normais ou mais duradouras?

O tecido que compõe o pênis tem fibras musculares, mas ele é formado basicamente de um sistema de enchimento e esvaziamento de sangue nos corpos cavernosos e esponjosos. 

São esses tecidos que permitem a entrada de sangue - nesse momento o homem tem uma ereção - e, depois, deixam o sangue sair -  a perda da ereção. Então, existe esse movimento de fluxo de sangue para dentro e para fora do pênis 

Existem exercícios para ajudar na ereção?

É muito pouco efetivo algum tipo de exercício para tentar “fortalecer” a musculatura do pênis. Até porque, apesar de ter fibras musculares, esse órgão não é exatamente um tecido muscular, na verdade é composto basicamente por esse tecido esponjoso apresentado anteriormente.

Possivelmente, essa dificuldade de ereção tem, sim, relação com a infecção.  Quem é infectado pelo vírus fica mais fraco, talvez tenha passado por uma internação, fica debilitado e apresenta  impactos psicológicos. Portanto, todas essas questões, tanto físicas como emocionais, pesam na ereção. 

Tudo é novidade 

Alguns estudos também têm mostrado que a infecção por Covid-19 pode até afetar a capacidade dos testículos de produzir testosterona. Mas, até o momento, não parece que a reposição seja a melhor estratégia. 

É tudo muito novo e os pesquisadores ainda estão investigando. Com isso, o recomendado é dar “tempo ao tempo”, voltar aos poucos a sua atividade sexual e, caso comece a enfrentar dificuldades permanentes, buscar a ajuda de um urologista para que ele possa pensar em melhores estratégias, como o uso dos facilitadores de ereção por um tempo.