Doutor Jairo
Assista » Tira dúvidas

Há outros animais que se atraem pelo mesmo sexo?

Para existir atração, é preciso entrar em contato com um desejo
Para existir atração, é preciso entrar em contato com um desejo - iStock

Redação Publicado em 21/02/2021, às 13h00

No reino animal, existem outros animais que se atraem pelo mesmo sexo?

Primeiramente, é difícil falar em atração quando a gente pensa em outros animais. A atração surge depois que entramos em contato com o desejo e nos sentimos atração em função dele. 

Ao estudarmos a história da evolução do comportamento,  é comum falarmos na "Teoria da Mente", sobre a capacidade do ser humano de se colocar no lugar do outro. Ou seja: uma pessoa consegue compreender que existe uma perspectiva própria e também a do outro, que pode ser completamente distinta da sua.

Para a maior parte dos especialistas, são pouquíssimos os animais que teriam essa capacidade. Para alguns, o ser humano seria provavelmente o único animal que desenvolveu essa percepção. Ou talvez a “Teoria da Mente” possa ser aplicada a outros bichos, mais em um grau diferente, como é o caso dos grandes primatas.

Dessa maneira, para existir uma atração é necessário que ocorra a percepção do seu desejo, e essa função exige cognição, trabalho mental. Por isso é difícil dizer se um animal tem atração por outro do mesmo sexo.

Mas o que se sabe é que há diversos exemplos na natureza de animais que mantêm alguma atividade sexual com outros do mesmo sexo, como é o caso de algumas aves e répteis.  

Chimpanzés x bonobos 

Um dos exemplos mais próximos dos seres humanos são os bonobos, grandes primatas muito parecidos fisicamente com os chimpanzés, mas que são muitos diferentes deles do ponto de vista comportamental

Os chimpanzés são animais altamente hierárquicos; o bando é composto por um macho alfa que constrói toda uma rede de poder ao seu redor, fazendo os outros machos do grupo serem dependentes dele. Além disso, esse macho alfa tem uma série de fêmeas com quem mantém uma relação e procria, mas ele pode “emprestar” algumas para outros chimpanzés com o objetivo de fortalecer as relações, garantindo e perpetuando seu poder. 

É muito curioso como a forma de organização e estruturação das relações dos chimpanzés lembram o jeito dos seres humanos de fazer política, afinal existe a questão das alianças e a ideia do “dar para receber algo em troca”. 

Os chimpanzés são extremamente agressivos, capazes de matar não apenas o rival em brigas de bando, mas também todos os seus filhotes, principalmente os menores que ainda estão sendo amamentados, para que a fêmea apreendida possa sair desse período de amamentação e retornar para o período fértil o mais rápido possível e ter novos filhotes com elas. 

Em contrapartida, os bonobos têm um padrão de comportamento completamente diferente, são mais pacíficos, não apresentam uma estrutura de hierarquia tão definida e dificilmente ocorrem situações em que agridem uns aos outros. O que chama atenção nesses animais é o comportamento sexual diversificado. 

Os bonobos do sexo masculino têm contato sexual tanto com fêmeas, como com outros machos. As fêmeas, por sua vez, também mantêm esse contato com outras fêmeas, além da relação sexual acontecer ainda entre pais e filhotes, e entre os filhotes.

Os especialistas acreditam que essa característica seja um dos motivos que explique a calma desse grupo: eles usam o sexo ou o contato mais próximo com o outro como forma de pacificação do bando. Em resumo, o bonobo é um exemplo de grande primata que tem uma atividade que pode ser chamada de homossexual. Mas isso também pode ser observado em outras espécies.