Doutor Jairo
Leia » Transtornos alimentares

Estudo associa transtornos alimentares a bullying e uso de drogas

Meninas com média de 13 anos têm mais sintomas de transtornos alimentares do que meninos
Meninas com média de 13 anos têm mais sintomas de transtornos alimentares do que meninos - Freepik

Redação Publicado em 14/04/2021, às 19h35

É perceptível que jovens estão cada vez mais envolvidos na busca por padrões sociais, fazendo uma associação entre magreza e sucesso. Entretanto, para alcançar esse objetivo, muitos usam estratégias prejudiciais à saúde para controlar o peso, o que pode deflagrar transtornos alimentares como anorexia, bulimia e compulsão alimentar.

Mas um estudo brasileiro mostra que esses transtornos também podem ter relação com o bullying e o uso de drogas na adolescência. O trabalho foi feito pela Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp), com financiamento do Ministério da Saúde, com dados de 5.213 alunos do 8.º ano de escolas públicas em três diferentes cidades no Brasil.

Sintomas similares

Segundo os pesquisadores, os sintomas comuns encontrados entre os transtornos alimentares e o uso de drogas são a perda de apetite e saciedade, preocupação com a comida, comportamento autodestrutivo, negação e consequências médicas graves. Essa associação foi mais observada em casos que apresentam compulsão alimentar e/ou comportamentos compensatórios.

A pesquisa também destaca a insatisfação com o corpo como um ponto importante para jovens que enfrentam o bullying no ambiente escolar. Alguns estudos já revelaram que crianças e adolescentes nessa situação apresentam maior risco de sintomas de anorexia e bulimia nervosa.

Considerando que ambos os comportamentos - tanto o uso de drogas como o bullying - estão ligados aos transtornos alimentares, a equipe dedicou-se a fazer uma avaliação integrada das três questões entre os adolescentes brasileiros.

Mais prevalente entre meninas

De acordo com os pesquisadores, meninas com idade média de 13 anos têm mais sintomas de transtornos alimentares quando comparadas aos meninos na mesma faixa etária.

Além disso, para ambos os sexos, ser vítima de bullying, praticar binge drinking (beber uma grande quantidade de álcool de uma única vez) e usar remédios para emagrecer sem qualquer prescrição médica são fatores associados à mais sintomas de transtornos alimentares. 

A pesquisa revelou ainda que, para as meninas, também foi encontrada uma ligação entre o uso de drogas ilícitas e esses transtornos.

Segundo a equipe envolvida, o fator mais associado, para ambos os sexos, foi o uso de medicamentos para emagrecer sem prescrição médica. Já o sintoma mais prevalente tanto entre meninas quanto em meninos foi a preocupação com a perda do controle sobre a quantidade de alimento ingerida.

De modo geral, as descobertas sugerem que os sintomas de transtornos alimentares são mais prevalentes entre jovens do sexo feminino e estão ligados ao bullying e ao uso de drogas durante a adolescência.

Com esse cenário, os pesquisadores defendem a importância de se realizar intervenções nas escolas para promoção de saúde capazes de interferir em mais de um comportamento de risco, visto que eles ocorrem de forma concomitante nessa faixa etária.

Veja também: