Doutor Jairo
Leia » Tira dúvidas

Será que é possível contrair HIV no banheiro?

Para adquirir HIV, é necessário que o vírus entre na corrente sanguínea
Para adquirir HIV, é necessário que o vírus entre na corrente sanguínea - iStock

Redação Publicado em 11/05/2021, às 20h30

Doutor, é possível contrair HIV ao encostar a vagina em alguma secreção no banheiro?

Não, não há riscos nesse caso. O HIV é o vírus causador da síndrome da imunodeficiência adquirida – mais conhecida pela sigla em inglês Aids – e ataca células específicas do sistema imunológico que têm como função proteger o corpo humano de doenças.

Para que o vírus seja adquirido, ele precisa entrar na circulação sanguínea. Portanto, se não existe nenhum tipo de ferida na pele, o simples contato com sangue ou outros fluidos contaminados não é suficiente para contraí-lo.

Na prática, as principais situações de risco para transmissão do HIV são:

- Relação sexual desprotegida com alguém infectado

- Receber transfusão sanguínea de sangue contaminado (o que é evitado com exames das coletas)

- Acidentes com agulhas infectadas

- Compartilhamento de agulhas para administração de drogas intravenosas

- Transmissão da mãe para o feto na gravidez, parto ou amamentação, quando não são realizadas as medidas de prevenção

Lembre-se: Aids e HIV não são sinônimos

Como foi dito, o HIV é o vírus causador da Aids, e ele ataca células do sistema imunológico e acaba deixando o corpo vulnerável a diversas doenças. Diferente de outros vírus, como o da gripe, o organismo não é capaz de combatê-lo.

Aids, por sua vez, é o nome dado à doença provocada pelo HIV. Em um estágio avançado da infecção, o indivíduo pode apresentar diferentes sintomas, infecções oportunistas – como pneumonias e infecções provocadas por fungos e protozoários – e alguns tipos de câncer.

Por essa e outras razões o tratamento antirretroviral é tão importante: sem ele, o HIV usa as células de defesa para replicar outros vírus e as destrói, fazendo com que o corpo seja incapaz de combater outras doenças e infecções.

Vale lembrar que ter o HIV não significa que a pessoa desenvolverá Aids, porém, uma vez infectada, o vírus permanece no organismo, ainda que o tratamento seja capaz de mantê-lo indetectável.

Veja também: