Doutor Jairo
Leia » Saúde

Saiba como agir durante uma crise de pânico

Durante as primeiras crises é muito difícil que a pessoa saiba o que fazer, podendo causar muito medo e angústia
Durante as primeiras crises é muito difícil que a pessoa saiba o que fazer, podendo causar muito medo e angústia - iStock

Redação Publicado em 18/01/2021, às 09h00

Uma crise de pânico é uma reação aguda de ansiedade, que não tem um tempo de duração determinado, podendo acontecer por 15 ou até mesmo 40 minutos, por exemplo. Durante essa reação aguda de ansiedade, a pessoa pode ter sintomas físicos extremamente desagradáveis, como:

  • Taquicardia;
  • Sudorese excessiva;
  • Falta de ar;
  • Sensação de desmaio; 
  • Dor de barriga (vontade de ir ao banheiro);
  • Formigamento da pele;
  • Dificuldade de perceber o que tá acontecendo em seu entorno. 

Além das sensações físicas existe também um componente emocional atrelado a elas, o que pode causar medo extremo, a impressão de estar morrendo ou perdendo o controle de si mesma, uma sensação de desmaio ou até mesmo de que ela está enlouquecendo.

Quando essas crises de ansiedade começam a se repetir com certa frequência é o momento em que se pode começar a considerar o diagnóstico de síndrome do pânico. O primeiro recurso neste caso é procurar um profissional de saúde mental, que possa avaliar, diagnosticar e instruir o tratamento adequado. O tratamento para a síndrome do pânico passa por psicoterapia e, muitas vezes, envolve o uso de remédios que ajudam no controle e tratamento da ansiedade.

Como administrar a crise

Durante as primeiras crises é muito difícil que a pessoa saiba o que fazer, já que ela não sabe exatamente o que está acontecendo e pode ficar paralisada, com muito medo e angústia. É comum também que as pessoas recorram ao atendimento em pronto-socorro durante uma crise, por terem a sensação de morte iminente.

É importante perceber que as crises costumam ter começo, meio e fim. Ou seja, durante uma crise de pânico é importante que a pessoa tente se preservar durante aqueles minutos e ter em mente que ela vai melhorar de todas essas sensações em breve.

O controle da respiração é uma arma poderosa, recomendada por muitos especialistas, já que durante a crise de pânico a pessoa tende a hiperventilar, o que aumenta as sensações físicas desagradáveis. Sendo assim, é importante tentar respirar com mais calma e com menor frequência. Usar um saquinho de padaria para inspirar e expirar dentro dele (e imaginar o seu pulmão sendo o saquinho) pode ajudar a visualizar a respiração e controlar a frequência dela.

Outros itens que podem ajudar, além do controle da respiração são:

  • Tente focar em sensações físicas que são familiares ao seu dia a dia, como tocar um tecido ou uma almofada e estar próximo de alguma coisa que faça você se sentir mais seguro;
  • Busque desfocar de você mesmo, da sua ansiedade, e tente focar a atenção em um objeto.
  • Meditação pode ser uma aliada, já que ela passa essa mesma ideia de estar presente no aqui e no agora. Pode ser uma ferramenta para tentar relaxar e se concentrar, para que seja possível se desprender da crise de ansiedade. 
  • Tente imaginar um lugar ou uma situação em que você se sinta tranquilo e feliz. Pode ser qualquer coisa que traga a sensação de alívio, como: um lago, uma praia, um campo ou momentos felizes que você já viveu.
  • Muitas vezes, a técnica de relaxamento muscular pode ajudar, já que a pessoa fica tensa. Isso pode ser feito com alongamentos e também ajuda na respiração e no alívio dos sintomas.
  • Um cheiro familiar também pode trazer conforto. Então, se você tem em casa uma essência ou perfume que te provoque uma sensação de bem-estar, isso pode ajudar, também.
  • Por fim, depois de ter passado pelo médico, saiba que você tem remédio à sua disposição e que você pode eventualmente recorrer a ele se a crise estiver se instalando!

Vale ressaltar que é muito importante que a pessoa entenda aquilo que ela tem, converse com seu médico e, junto com ele, discuta as melhores formas de tentar controlar a crise para que isso possa ter o menor impacto possível em sua vida.