Doutor Jairo
Leia » Consumo consciente

Por que o álcool age de forma diferente em homens e mulheres?

O consumo exagerado de bebida alcoólica pode ter mais impacto para a mulher
O consumo exagerado de bebida alcoólica pode ter mais impacto para a mulher - iStock

Jairo Bouer Publicado em 14/03/2021, às 14h01

Homens e mulheres são diferentes do ponto de vista biológico e, essas diferenças podem se refletir na resposta do corpo ao álcool.

Trabalhos mostram que apesar dos efeitos nocivos do consumo exagerado da bebida poderem acontecer em qualquer pessoa, nas mulheres esse impacto pode ser ainda mais intenso e começar mais cedo, com níveis mais baixos de álcool.

As mulheres têm uma porcentagem de gordura diferente no seu organismo e, para uma mesma estatura e peso, tendem a ter menos água no corpo do que os homens. Assim, com as mesmas doses, elas alcançam concentrações mais altas de álcool. Além disso, as mulheres possuem, de forma geral, menos enzimas que degradam o álcool no fígado, e isso pode fazer com que os efeitos da bebida persistam por mais tempo no seu corpo.

O consumo nocivo pode levar mulheres a enfrentar, no futuro, mais questões de saúde do que homens por causa de álcool, como maior risco de problemas cardíacos e cirrose, já que elas são mais sensíveis aos efeitos da bebida.

Além disso, abuso de álcool pode prejudicar a fertilidade da mulher, e, mesmo para aquelas que não querem engravidar e usam pílula, a bebida pode dificultar o manejo da contracepção. Bom lembrar que os hormônios das pílulas também são metabolizados no fígado.  

Como no Brasil a gente tem percebido um aumento do abuso de álcool entre mulheres, que saltou de cerca de 10% para 13% (um aumento de quase 30%) entre 2010 e 2020, de acordo com dados do Ministério da Saúde, é muito importante que elas estejam atentas a essa maior sensibilidade e aos maiores riscos.

Além disso, ainda existe um tremendo estigma entre as mulheres em procurar ajuda para tratar de questões relativas ao uso nocivo de álcool. Esse preconceito faz com que, muitas vezes, elas adoeçam antes de ter qualquer forma de ajuda. É fundamental mudar esse panorama!

Quer saber mais cobre consumo responsável? Você encontra informações no site DRINKiQ.

Ouça também: