Doutor Jairo
Leia » Consumo consciente

Álcool: por que é importante moderar?

Cada um de nós deve aprender a se relacionar com a bebida de uma maneira que não seja nociva
Cada um de nós deve aprender a se relacionar com a bebida de uma maneira que não seja nociva - iStock

Jairo Bouer Publicado em 08/03/2021, às 11h00

Quando o assunto é álcool, você já deve ter ouvido termos como “moderado”, “consciente”, ou “responsável” para se referir a padrões desejáveis de consumo. Mas o que esses termos querem enfatizar?

O álcool faz parte da vida de muita gente e, como tantos outros hábitos, é fundamental que a gente aprenda a se relacionar com seu o consumo de uma forma que não prejudique nem atrapalhe nossas vidas.

A gente tem alguns parâmetros para balizar o que pode ser o consumo moderado, definido por organizações e instituições que se ocupam dessa discussão. Por exemplo, para a OMS (Organização Mundial da Saúde), homens poderiam beber, no máximo, até quatro doses em uma única ocasião e mulheres, três. Para o NIAAA (National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism), dos EUA, o ideal seria que homens só bebessem até duas doses por dia e mulheres apenas uma. A OMS também enfatiza a importância de não se beber todos os dias da semana. 

Mas esses parâmetros são apenas guias. O importante é que cada um de nós, individualmente, aprenda a se relacionar com a bebida de uma maneira que não seja nociva e possa administrar bem seu consumo. Para isso, é importante reconhecer nossos limites e perceber que eles podem mudar de uma fase para outra de nossas vidas. Há dias em que a pessoa pode estar mais vulnerável do ponto de vista emocional e corre o risco de beber mais, por exemplo, daí a importância de conhecer o ponto de parar. Aliás, é bom lembrar que toda vez que a gente bebe para tentar aliviar uma emoção ou situação negativa, aumentam as chances de a gente beber mal.

Nesse sentido vale lembrar que:

  • não existe um nível ou quantidade de álcool considerado seguro
  • os limites de cada pessoa são distintos
  • os limites de cada um podem mudar em diferentes momentos da vida
  • o problema não é beber e, sim, exagerar
  • quem bebe muito em uma única ocasião ou bebe com muita frequência corre o risco de desenvolver um padrão de abuso ou de dependência

Quem não pode beber?

Também importante salientar que não devem beber:

  • mulheres grávidas
  • menores de 18
  • quem usa remédios que tem ação no sistema nervoso central
  • quem vai dirigir
  • quem vai operar máquinas ou exercer atividades que exigem concentração e atenção
  • quem vai nadar

Como saber que está na hora de parar?

  • Se começar a falar ou rir sem parar
  • Se perceber que sua voz está arrastada
  • Se ficar muito sonolento
  • Se ficar tonto na hora de levantar da cadeira
  • Se perceber seu comportamento está muito fora do usual
  • Se as pessoas começarem a dar sinais claros que você está incomodando

Tudo isso pode sinalizar que você está passando ou já passou do ponto. Um problema adicional é que a bebida pode alterar nossa capacidade de avaliar o estado que a gente realmente está e esse pode ser um fator complicador para você parar. Por isso é importante se conhecer e valorizar a opinião dos colegas, principalmente se esse erro de avaliação já aconteceu antes.

Para terminar, se você perceber que está tendo problemas frequentes com o consumo de álcool, não demore em procurar conversar com um amigo em quem confia e pedir a ajuda de um profissional.

Quer saber mais cobre consumo responsável? Você encontra informações no site DrinkIQ

Ouça também: