Doutor Jairo
Leia » Consumo consciente

Por que não se deve beber para aliviar estresse e ansiedade?

Consumir álcool para tentar esquecer uma situação complicada não é uma boa escolha
Consumir álcool para tentar esquecer uma situação complicada não é uma boa escolha - iStock

Redação Publicado em 13/03/2021, às 12h00

Você já deve ter ouvido falar que nunca é legal a gente beber para aliviar alguma emoção, sensação ou pensamento negativo. Nesse sentido, beber porque você está triste, ansioso ou estressado não é uma boa escolha. E consumir álcool para tentar esquecer alguma situação ruim ou complicada também não é boa ideia.

Em primeiro lugar, o álcool não vai fazer você resolver seus problemas e, depois, corre-se o risco de usar a bebida como uma “muleta”, um “remédio” para qualquer dificuldade que você encontrar na vida.

Além de beber não ser uma medida efetiva para resolução dos seus conflitos, a repetição desse comportamento pode trazer o risco de um padrão mais complicado de consumo, como o abuso ou a dependência.

Alguns estudos afirmam que entre 20% e 40% das pessoas que têm transtornos de ansiedade costumam fazer uso nocivo de bebida, e o inverso também é verdadeiro, quem bebe mal acaba tendo mais transtornos de ansiedade também!

Vamos tentar entender por quê?

Toda vez que a pessoa bebe, nas doses iniciais o álcool produz um relaxamento, uma sensação de bem-estar. Se a pessoa para por aí, tudo bem. O problema é que com o aumento da quantidade de álcool ingerido, esse relaxamento pode dar lugar a uma série de efeitos negativos no comportamento, como irritação, agressividade, diminuição de reflexos, sonolência, entre outros.

Quem bebe para tentar aliviar ansiedade e estresse pode ter a falsa impressão que o álcool faz a pessoa se sentir melhor. Só que como esse efeito é transitório, ela logo quer beber mais, e pode necessitar de doses cada vez maiores para a tentativa de controle das emoções negativas. Resultado: além de se criar um condicionamento (estar ansioso = preciso beber), ela pode aumentar a frequência da ingestão e a quantidade de álcool consumido, o que traz riscos para sua vida e saúde.

O ideal é que a pessoa beba de forma recreativa, e não para tentar resolver seus problemas, conflitos e dificuldades.

O que ajuda em caso de ansiedade

Lembre-se que se você tem uma questão concreta de ansiedade ou de estresse, o melhor é procurar um profissional de saúde mental que faça seu diagnóstico e proponha estratégias de mudança de estilo de vida e tratamento. Isso pode ser feito através de atividade física, meditação e relaxamento, entre outras possibilidades, e pode também melhorar com psicoterapia e até uso de medicamentos.

Na pandemia, quadros de ansiedade e estresse se agravaram. Muito mais gente passou a enfrentar essas questões, e se observou, também, um aumento do consumo de álcool, com todos os problemas e riscos já mencionados. O melhor é evitar essa associação e buscar ajuda de amigos, redes de apoio e profissionais de saúde.

Quer saber mais cobre consumo responsável? Você encontra informações no site DrinkIQ.

Ouça também: