Doutor Jairo
Leia » Celebridade

Marília Mendonça diz ter déficit de atenção; entenda o transtorno

Cantora toma remédio para déficit de atenção
Cantora toma remédio para déficit de atenção - Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 10/06/2021, às 10h00

Na última terça-feira (8), Marília Mendonça comentou em seu Twitter sobre uma dificuldade que tem devido ao seu déficit de atenção. Segundo a cantora, é muito difícil mexer com números pois eles “começam a embaralhar e parece que tão dançando”.

Marília ainda acrescentou que chega a tomar medicação, mas ela não vê melhoras quando se trata dos números. “Acho que eu já tenho traumas por ter ido muito mal na escola com as exatas”, explicou.

Quais são os principais sintomas do déficit de atenção?

Em geral, quando se fala em TDAH (ou DDA, distúrbio do déficit de atenção) é comum as pessoas pensarem mais em crianças e jovens, faixas de idade em que as manifestações talvez sejam mais evidentes (agitação psicomotora, inquietação, dificuldade em manter atenção na sala de aula, agressividade, entre outros).

"Mas os adultos também podem apresentar sintomas de TDAH, sendo que muitos deles nunca passaram por uma avaliação na infância ou adolescência, o que dificulta o diagnóstico na vida adulta", comenta Jairo Bouer. 

A Organização Mundial de Saúde estima que cerca de 4% da população adulta mundial tenha o TDAH. Isso porque cerca de duas a cada três crianças com o transtorno continuam a apresentar os sintomas depois que crescem. No Brasil, a estimativa é a de que haja 2 milhões de adultos acometidos.

Sintomas mais comuns em adultos:

  • Distrair-se com facilidade 
  • Tomar decisões de forma impulsiva
  • Começar tarefas sem ler instruções
  • Dificuldade em seguir a ordem esperada para as atividades
  • Organização precária
  • Não conseguir manter atenção em atividades recreativas
  • Faltar e falhar em compromissos
  • Estar sempre com pressa
  • Ser muito impaciente com tudo e todos
  • Não conseguir interromper ações quando deveria fazê-lo

Variações

"O TDAH é encarado hoje muito mais como uma síndrome em que os sintomas podem acontecer com diferentes frequências e intensidades. E o impacto desses sintomas pode variar muito de pessoa para pessoa", explica Bouer. 

Confira:

Questões como desempenho ruim no trabalho, mudanças frequentes de emprego, comportamentos de risco (como, por exemplo, fazer sexo sem proteção, dirigir de forma imprudente) e dificuldades nos relacionamentos interpessoais são prejuízos comuns na vida de pessoas com o transtorno.

Embora mais incomuns, jovens e adultos com TDAH ainda podem ter comportamentos como falta de cuidado com a saúde e o estilo de vida, abuso de álcool e drogas, e envolvimento em brigas e ocorrências policiais. 

Para se fazer o diagnóstico de TDAH em adultos é preciso confirmar que o transtorno esteve presente na vida da criança, o que nem sempre é fácil, já que a pessoa pode não lembrar de toda sua infância e os pais podem não estar vivos quando se chega, finalmente, no diagnóstico. 

"É comum que, ao fazer o diagnóstico da criança, a gente ouça o pai ou a mãe dizerem que passaram pela mesma situação", diz a psiquiatra Danielle Admoni, especializada em infância e adolescência, que atua na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Esses adultos contam, segundo a médica, que eram taxados de "burros e folgados", que apanhavam em casa ou na escola porque não conseguiam parar quietos.

"Não tratar o TDAH traz prejuízos imensos: não só profissional, como também nos relacionamentos", relata. Sem contar que, como ela também observa, muitos jovens e adultos passam a usar drogas como uma espécie de automedicação para obter alívio de alguns sintomas. 

Tipos de TDAH

Existem três tipos diferentes de TDAH, dependendo de quais tipos de sintomas são mais fortes no indivíduo:

Predomínio da desatenção: é difícil para o indivíduo organizar ou terminar uma tarefa, prestar atenção aos detalhes ou seguir instruções ou conversas. A pessoa se distrai facilmente ou esquece detalhes de suas rotinas diárias.

Predomínio de hiperatividade ou impulsividade: a pessoa se agita e fala muito. É difícil ficar sentado por muito tempo (por exemplo, na hora de comer ou enquanto faz o dever de casa). O indivíduo se sente inquieto e tem problemas com impulsividade, ou seja, vive interrompendo muito os outros, arranca coisas da mão das pessoas ou fala em momentos inadequados. É difícil para a pessoa esperar sua vez ou ouvir instruções. Uma pessoa com impulsividade pode ter mais acidentes e lesões do que outras.

Apresentação combinada: os sintomas dos dois tipos acima estão igualmente presentes na pessoa.

Vale destacar que os sintomas de TDAH podem mudar com o tempo, conforme a pessoa envelhece.

Assista também: