Doutor Jairo
Leia

Marilia Mendonça relembra crises devido à pandemia; como lidar?

None

Da Redação Publicado em 03/12/2020, às 21h40 - Atualizado em 04/12/2020, às 12h07

Marilia Mendonça relatou crises de ansiedade devido à pandemia em suas redes sociais, na última quarta-feira (2).

“Fiquei andando de um lado pro outro da casa. Não consegui me concentrar em nada que me propus a fazer”, disse ela no Twitter.

Crédito: Instagram/@mariliamendoncacantora

Em um longo desabafo, ela contou que tentou fazer uma série de atividades, que costumavam a acalmar, mas tudo em vão: “Nada me tirava da cabeça que eu estava estagnada, estática no mesmo lugar e não tenho para onde ir”.

Marília finalizou com uma reflexão: “Disse para mim mesma com muito carinho: você não está atrasada. O mundo atrasou. Respira. Quando tudo voltar, as pessoas que te amam vão estar lá, o seu lugar continua lá. Agradeça e viva. Por isso, muito obrigada por tudo!”.


Como lidar com as crises devido à pandemia?

Desde a chegada da pandemia do coronavírus, a população é bombardeada de informações e vive com o constante medo da contaminação.

Incertezas sobre o rumo da pandemia, receio de adoecer ou de perder amigos e parentes, confinamento, medo de ficar sem emprego ou sem dinheiro, perda de contatos sociais, entre outros fatores, são a matéria prima desse caldo que enche a vida das pessoas de ansiedade e estresse.

Confira algumas estratégias possíveis em meio a uma infinidade de outras possibilidades e caminhos.

  1. Não existe uma ementa ideal de conduta para todo mundo. Cada um tem que elaborar seu próprio manual que, aliás, pode e deve ser atualizado de tempos em tempos;
  2. Você é sempre o melhor termômetro! Quando perceber que não está bem, dispare o alerta. Amigos ou familiares podem ajudar com algumas observações sobre seu comportamento;
  3. Regule a quantidade e frequência de notícias sobre a covid-19, principalmente se você percebe que a exposição está fazendo mal. De preferência sempre a fontes confiáveis de informação. Cuidado redobrado com “fake-news” e conteúdos das redes sociais;
  4. Crie uma rotina, tentando ordenar as atividades do dia;
  5. Encare um dia após o outro. Não pense em prazos máximos e infindáveis de quarentena;
  6. Tente manter atividade física regular, mesmo dentro da sua casa (algumas cidades permitem saídas para praticar exercícios, desde que sejam locais abertos e sem aglomerações);
  7. Procure atividades que ajudem você a desfocar como ver uma série, ler um livro, meditar, fazer relaxamentos, enfim, qualquer coisa que mantenha sua concentração longe das suas preocupações;
  8. Não se isole! Esse é o momento de ligar para amigos, fazer vídeo-chamadas, usar suas redes de apoio. Isolado sim, sozinho nunca!
  9. Ao menor sinal de que as coisas não vão bem, peça ajuda de profissionais de saúde mental ou procure serviços de apoio, como o CVV. Boa parte deles está atendendo à distância;
  10. Não tome remédios (ansiolíticos, antidepressivos) sem orientação médica, não beba todos os dias para relaxar e, também, não beba muito de uma só vez;
  11. Se perceber que o isolamento está levando a um aumento de tensão com seu parceiro, tente entender como melhorar isso. Não deixe essa tensão crescer e sair do controle para tomar uma atitude!