Doutor Jairo
Assista » Dúvida

É verdade que a próstata é o “ponto G” masculino?

O exame de próstata é feito para checar o tamanho e o formato, evitando problemas como câncer
O exame de próstata é feito para checar o tamanho e o formato, evitando problemas como câncer - iStock

Redação Publicado em 19/06/2021, às 12h00

Doutor, é verdade que a próstata é o “ponto G” do homem? Corre o risco de ter uma ereção durante o exame de toque?

É pouco provável que o indivíduo tenha uma ereção ou ejaculação fazendo o exame de próstata. Geralmente, ele está tenso e em um local desconfortável. Muitos homens têm esse medo, mas, normalmente, isso não acontece. 

A próstata é uma região que, para aquelas pessoas que gostam de explorar essa parte do corpo e fazer sexo anal, é um local que pode dar prazer e, por isso, existe essa ideia de “ponto G” masculino. 

Por ser uma área que detém muitos nervos, acaba ocorrendo a relação entre o estímulo na próstata e a sensação de prazer. É importante dizer que não é necessário que o homem seja homossexual ou bissexual para sentir isso. Qualquer indivíduo, através da masturbação, pode alcançar essa parte do corpo e sentir prazer estimulando a região da próstata. 

Quando fazer o exame de próstata? 

Geralmente, o indicado é que o homem realize o exame de próstata a partir dos 50 anos de idade. Porém, caso ele tenha algum caso de câncer nessa região na família, o ideal é que o acompanhamento comece um pouco mais cedo.   

A próstata é uma glândula localizada na frente do intestino reto e embaixo da bexiga. Para realizar o exame, o médico utiliza uma luva com lubrificante e introduz o dedo no ânus para checar o tamanho e o formato, que podem indicar uma série de questões. 

Além do exame de toque, atualmente há outras formas de fazer o acompanhamento dessa região. Por exemplo, com o Antígeno Prostático Específico (PSA), uma enzima produzida pela próstata) que pode aumentar em casos de tumor, e por meio do ultrassom. Em alguns casos, a partir dos 50 a 55 anos, é recomendado exames periódicos de toque retal como uma complementação. 

Confira:

 Não deixe para depois

A Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo reforça a importância de realizar o exame de toque com regularidade e, consequentemente, identificar cedo possíveis tumores de próstata. Assim como para outros tipos de câncer, a detecção precoce é determinante para o sucesso do tratamento.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que o país teve 65.840 novos casos da doença em 2020, o que equivale a 63 novos casos a cada 100 mil homens. O câncer de próstata é o segundo tumor maligno mais comum entre os homens, perdendo somente para o câncer de pele não melanoma.

Embora a maioria dos casos seja tratável, 25% dos pacientes que descobrem ser portadores de um tumor de próstata morrem devido à doença, segundo a SBU. A cultura patriarcal vigente na sociedade estimula um comportamento dos homens que resistem em cuidar da saúde. Por isso, é importante mudar essa mentalidade com objetivo de aumentar a expectativa e a qualidade de vida.