Doutor Jairo
Leia » Bebida e isolamento

Uso problemático de álcool cresceu 19% a cada semana de quarentena

O estresse desencadeado pela pandemia aumentou os riscos para quem já tinha tendência a exagerar na bebida
O estresse desencadeado pela pandemia aumentou os riscos para quem já tinha tendência a exagerar na bebida - Pixabay

Redação Publicado em 11/12/2020, às 20h20

O consumo de grandes quantidades de álcool em pouco tempo, chamado pelos especialistas de “beber pesado episódico” ou “beber em binge”, foi maior quanto mais tempo as pessoas ficaram em quarentena por causa da Covid-19. É o que mostra um estudo feito com quase 2.000 norte-americanos com mais de 18 anos de idade.

Os resultados, publicados no American Journal of Drug and Alcohol Abuse, mostram que o estresse desencadeado pela pandemia aumentou os riscos para quem já tinha tendência a exagerar na bebida.

O que é beber pesado?

Beber pesado (ou em binge) significa, para homens, consumir cinco ou mais doses de bebida alcoólica em apenas duas horas. Para as mulheres, quatro ou mais doses numa única ocasião já são demais.  Para se ter uma ideia da quantidade, cada dose equivale a uma lata de cerveja, uma taça de vinho ou um “shot” de destilado.

Os pesquisadores descobriram que, entre bebedores compulsivos, a probabilidade de beber pesado aumentou 19% a cada semana a mais de isolamento. Ainda entre essas pessoas, o risco de exagerar no álcool foi estimado em 60%, mais que o dobro do registrado entre pessoas que não exageram (28%).

A equipe, da Escola de Saúde Pública da Universidade do Texas, notou que bebedores compulsivos bebiam, em média, quatro drinques por ocasião, com máximo de sete, em comparação com dois drinques ingeridos no máximo pelos que não têm compulsão para beber.

O risco também foi mais alto em indivíduos com depressão ou histórico do transtorno. Os autores explicam que é fundamental que as pessoas levem sintomas depressivos a sério e busquem tratamento. Por outro lado, um pouco mais baixo para quem tem criança em casa. 

Álcool e vulnerabilidade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou recentemente um guia para orientar as pessoas a “minimizar o seu consumo de álcool a qualquer momento, principalmente durante a pandemia da covid-19.”

O documento esclarece que o álcool prejudica o nosso raciocínio, o que aumenta o risco de violência. Além disso, exagerar na bebida pode vulnerabilizar a nossa saúde física e mental, o que é tudo que a gente não quer neste momento. 

Veja também: