Pular para o conteúdo

Giulia Gam define depressão como ”paralisante”; saiba como ajudar alguém

Da Redação

2/10/2020 20:46




Giulia Gam fez um relato sincero sobre a depressão que sofreu, durante entrevista ao Splash, do UOL, na última segunda-feira (28).

A atriz relembrou que, enquanto ainda era contratada da Rede Globo, teve severas crises da condição e teve apoio dos colegas. Sua última novela foi ‘Boogie Oogie’, em 2018.

“Senti muita ansiedade e tive uma depressão. A Globo me apoiou muito, até que chegou um momento em que eu não estava produzindo. Como meu contrato estava acabando, entramos em um acordo e não foi renovado. Deixei as portas abertas”, contou.

giuliagam72 106479559 296253971755269 8959759923851715946 n 1 1024x683 - Giulia Gam define depressão como ''paralisante''; saiba como ajudar alguém
Crédito: Instagram/@giuliagam72

A artista ainda deu detalhes de seus sentimentos: “[Senti] uma coisa paralisante. Tive crise de pânico e um pouco de tudo. É um conjunto de coisas, não tem um diagnóstico. É preciso muita terapia para saber o que realmente detonou essa crise de ansiedade, esse medo de tudo”.

Giulia é mãe de Theo, fruto de seu relacionamento com Pedro Bial, com quem foi casada até 2000.

“A gente erra muito como mãe e se culpa. Mas quando tem amor, eu acho que vinga, sabe? É o que importa. A gente se culpa por não ter feito isso ou por ter feito aquilo, mas vejo hoje que tem uma saúde emocional que é o amor mesmo que constrói”, desabafou.

Gam finalizou dando um conselho: “Vai passar. É preciso apoio médico, espero que você acerte no profissional (risos) e tenha um canal afetivo com ele. Mas vai passar. Quando está mal, você não consegue ver um futuro a sua frente, mas você voltará a ter a sua vida. É preciso ter paciência com você”.

Como ajudar alguém com depressão?

É imprescindível que todo mundo tenha conhecimento sobre a depressão e outros transtornos emocionais. Mesmo quando não causam incapacidade ou mortes, esses quadros podem prejudicar muito a qualidade de vida. E o pior é que muita gente não leva os sintomas a sério, ou, pior, acha que eles são sinais de fraqueza, preguiça ou covardia. Não são. Pode ter certeza.

O primeiro passo para ajudar alguém nessa situação é estar por perto, conversar e estimular a pessoa a falar o que sente. Ser ouvido e até se escutar é muito importante para quem está com ansiedade e depressão.

Quando você percebe que não está dando conta do recado, é importante que você sirva de ponte para que ela procure um profissional de saúde mental. Nesses tempos de pandemia, inclusive há muitos profissionais atendendo online.

Veja também:

Assista, também, a outros vídeos no meu canal no YouTube

Saiba mais:

Redes sociais: uso excessivo na pandemia é associado à depressão

Ex-Menudo é internado em estado grave; isolamento teria agravado depressão

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS