Pular para o conteúdo

Ansiedade e depressão têm sido piores para jovens que enfrentam desemprego

Da Redação

11/11/2020 20:53




Adultos jovens podem ser menos vulneráveis a complicações por Covid-19, mas eles não foram poupados pelas consequências econômicas da pandemia.

Uma pesquisa com 5 mil jovens norte-americanos de 18 a 26 anos mostra que sintomas de ansiedade e depressão têm sido mais comuns naqueles que perderam ou viram alguém da família perder o emprego desde março deste ano.

depressao 1024x683 - Ansiedade e depressão têm sido piores para jovens que enfrentam desemprego
Crédito: Pixabay

Desemprego e ansiedade

O trabalho, publicado no Journal of Adolescent Health, revela que quase 60% desses jovens adultos vivenciaram o desemprego recente direta ou indiretamente. E 40% esperavam ficar sem trabalho, ou ver alguém da família sem trabalho, nas semanas seguintes à abordagem.

Nos sete dias anteriores às entrevistas, 75% relataram estar nervosos, ansiosos ou tensos; 68% afirmaram não ser capazes de controlar as preocupações, 67% disseram ter pouco interesse ou prazer em fazer as coisas e 64% revelaram estar se sentindo “para baixo” , deprimido ou sem esperança.

Cicatrizes duradouras

Vivenciar o desemprego é traumatizante em qualquer idade, mas os autores do estudo, da Universidade da Califórnia, ressaltam que as consequências podem ser mais graves para quem está no início da carreira.

Os impactos dessa insegurança na saúde mental podem deixar cicatrizes duradouras, por isso é importante que eles sejam acolhidos o quanto antes.

Veja também

Leia mais: 

Riscos para saúde mental do jovem disparam na pandemia

Solidão tem pico na faixa dos 20 e dos 40 anos, segundo pesquisadores

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS