Pular para o conteúdo

Adote esses 5 hábitos para terminar o ano de um jeito mais leve

Da Redação

7/10/2020 11:51




O ano de 2020 está chegando ao fim e podemos concordar que não foi um período fácil. A pandemia do novo coronavírus desencadeou diversas situações que nunca imaginamos viver.

Diversas pesquisas recentes mostraram como o distanciamento, as preocupações com a Covid-19 e o impacto econômico exacerbaram o sofrimento das pessoas, especialmente aquelas que já sofrem de doenças mentais.

sunset 691848 1 1024x683 - Adote esses 5 hábitos para terminar o ano de um jeito mais leve
Crédito: Pixabay

Para tentar aliviar os efeitos negativos, separamos cinco hábitos que podem ajudar a mudar a melhorar sua saúde mental nos próximos meses (e quem sabe para o resto da vida!) para terminar o ano de um jeito mais leve.

Faça um detox digital

O tempo que passamos nas telas aumentou drasticamente. Isso se torna ainda mais preocupante para os jovens, que além de terem sua distração na palma das mãos, agora também participam de aulas online.

Tirar um dia por semana longe da tecnologia e redes sociais pode fazer um bem danado. Segundo uma equipe da Universidade de Washington, que rastreou 214 jovens LGBTQ em um acampamento de férias que não usava dispositivos eletrônicos, os sintomas de depressão dos participantes foram reduzidos pela metade durante o período de detox digital.

Ir para a cama mais cedo

Você sabia que o horário que você se deita pode influenciar diretamente nos seus pensamentos? Um estudo da Universidade de Binghamton, nos Estados Unidos, relatou que as pessoas que vão para a cama mais tarde e dormem por poucas horas tendem a ter uma carga maior de pensamentos negativos do que aquelas que vão para a cama cedo e tem uma boa noite de sono.

Questione seus pensamentos negativos

O processo consiste em transformar os pensamentos irracionais, com o objetivo de mudar sua mentalidade. Ao invés de pensar que você falhou, canalizar para um aprendizado e lembrar que aquele passo para trás não reflete em quem você é.

Outro ponto importante: pesquisadores da University de Reading, no Reino Unido, descobriram que existe uma associação significativa entre a preocupação excessiva com felicidade e a tendência a sofrer de depressão. Essas pessoas podem prestar muita atenção às suas emoções, o que dificulta o controle dos pensamentos ou sentimentos negativos.

Partiu se exercitar!

Manter-se ativo pode ajudá-lo a se sentir bem e a dormir melhor. Experimente 60 minutos de exercício físico todos os dias. O ideal é que, na maioria das vezes, os exercícios tornem a respiração difícil e o batimento cardíaco mais rápido. Isso inclui caminhadas, ciclismo, dança, natação, esportes e musculação. O importante é descobrir o que você gosta de fazer e fazer regularmente.

Adeus, perfeccionismo

De acordo com pesquisas publicadas pela Sociedade Americana de Psicologia Social e da Personalidade, o perfeccionismo excessivo pode prejudicar o sucesso no trabalho, na escola e até nos esportes. Os pesquisadores realizaram uma revisão abrangente de 43 estudos científicos sobre perfeccionismo e “burnout” nos últimos 20 anos.

Ou seja, talvez não seja a melhor ideia buscar metas quase inatingíveis. Muitos estudos demonstraram que o estresse excessivo e a preocupação podem levar a problemas graves, como depressão, ansiedade, distúrbios alimentares, fadiga e até morte prematura.

Veja também:

Assista, também, a outros vídeos no meu canal no YouTube.

Saiba mais

Usuária do TikTok usa plataforma para lutar contra padrões de beleza

Paula Toller abre o coração sobre críticas: ”Sou cancelada há décadas”

Giulia Gam define depressão como ”paralisante”; saiba como ajudar alguém

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS