Pular para o conteúdo

Isolamento social faz mulheres terem maior risco de hipertensão, diz pesquisa

Da Redação

28/10/2020 17:44




Não é segredo para ninguém que a solidão e o isolamento social têm impacto negativo na saúde mental e física das pessoas. Isso parece ter ficado ainda mais evidente com a pandemia de Covid-19. Segundo um estudo recém-publicado, porém, mulheres e homens podem ser afetados de forma diferente.

Pesquisadores da University of British Columbia, no Canadá, descobriram que elas têm maior risco de sofrer de hipertensão quando isoladas, principalmente as mulheres de meia-idade ou mais maduras. Vale lembrar que a pressão alta é uma das principais causas de infarto e derrame.

loneliness 2308923 1920 1024x683 - Isolamento social faz mulheres terem maior risco de hipertensão, diz pesquisa
Crédito: Pixabay

Pior para viúvas e solteiras

A equipe usou informações do Estudo Longitudinal Canadense sobre Envelhecimento, com 28.238 adultos com idades entre 45 e 85 anos. Os resultados indicam que as mulheres sem parceiro, que tinham uma rede social pequena e participavam de menos de três atividades sociais por mês tinham maior risco de hipertensão.

Uma das medidas de pressão arterial, a sistólica, foi maior para as viúvas e solteiras, mas também alta para as socialmente inativas, conforme descrito no Journal of Hypertension.

Resultado diferente para os homens

Entre os homens, os resultados foram diferentes. Os solteiros que compartilhavam a casa com outras pessoas e tinham maiores redes sociais apresentaram pressão arterial mais elevada, enquanto os que tinham redes menores e moravam sozinhos eram mais propensos a ter a pressão mais baixa.

Um estudo anterior, conduzido pelo mesmo grupo, já tinha observado que mulheres solteiras, viúvas ou divorciadas tinham maior propensão a ter obesidade abdominal e geral. Já os homens eram menos propensos às condições se morassem sozinhos e tivessem uma rede social menor.

Vida social é remédio

Para os pesquisadores, participar de eventos sociais com regularidade tem um efeito protetor tão pronunciado para mulheres solteiras ou viúvas que médicos deveriam fazer essa recomendação, junto com os conselhos sobre dieta e atividade física.  Combinações de diferentes tipos de laços sociais também parece ter efeito positivo para a saúde.

A equipe ressalta que o aumento da pressão arterial associado ao isolamento social foi semelhante ao observado quando a mulher vive num ambiente poluído, exagera no sódio ou tem excesso de peso. Ou seja: a solidão é um fator de risco relevante para infarto e derrame.

Saiba mais:

Solidão pode ser fator de risco para o diabetes tipo 2

Não parece, mas solidão pesa para os mais jovens

 

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS