Pular para o conteúdo

Encanação com o corpo dificulta o prazer no sexo casual

Da Redação

21/10/2020 13:33




Um estudo sugere que quem se sente confortável com a própria imagem corporal tende a ter mais prazer sexual ao ficar com alguém que acabou de conhecer com ajuda de um aplicativo de encontros. Já quem tem uma relação complicada com o espelho pode ter mais dificuldades no sexo casual, como falhas de ereção ou dificuldade de chegar ao orgasmo.

O trabalho, feito nos EUA, contou com 243 homens e mulheres jovens que usavam aplicativos de encontros como Tinder e Grindr.  Entre os participantes, 62% das mulheres e 43% dos homens se identificaram como heterossexuais. Também havia lésbicas, gays, bissexuais e pansexuais na amostra.

redessociais 1024x683 - Encanação com o corpo dificulta o prazer no sexo casual
Crédito: Pixabay

Dificuldades de ereção ou orgasmo

Todos os voluntários responderam a uma série de perguntas para avaliação da autoimagem corporal e também deram detalhes sobre as atividades íntimas (como abraços e carícias) e relações sexuais recentes com pessoas que haviam conhecido com ajuda da tecnologia.

Mulheres que valorizam o próprio corpo foram mais propensas a relatar satisfação sexual nas relações. Já as mais encanadas tiveram experiências menos positivas, e mais probabilidade de problemas como dor, falta de lubrificação ou dificuldade para chegar ao orgasmo.

Para os homens, o excesso de preocupações com a autoimagem corporal levou a mais dificuldades de ereção, mas não chegou a comprometer a ejaculação, segundo os dados publicados no periódico Body Image.

Insatisfação com o próprio corpo

O estudo foi coordenado pela pesquisadora Virginia Winter, da Universidade do Missouri, que faz pesquisas com adolescentes há muitos anos, e sabe como muitos deles são insatisfeitos com o próprio corpo, independente de serem altos, baixos, gordos ou magros.

Como uma boa função sexual é fundamental para o bem-estar, e a cultura da “pegação” com os aplicativos de encontros está cada vez mais arraigada, é possível concluir que uma parcela grande de homens e mulheres vai ter mais problemas.

A saída? Investir em intervenções que ajudem as pessoas a ter uma relação melhor com a autoimagem. Vale lembrar que as redes sociais têm deixado muita gente mais insatisfeito com o próprio corpo, à medida que geram uma comparação excessiva.

Veja também: 

Saiba mais:

Quer mais sexo? Uma dica simples pode ajudar

Bulimia, anorexia e dismorfia corporal: associação é frequente, alerta estudo

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS