Doutor Jairo
Testeira
Colunas / Consultório LGBTQIA+ » Férias

Manual de sobrevivência do homem gay em viagens

Com a temporada de viagens aberta, é preciso estar preparado para todas as situações que podem ocorrer - iStock
Com a temporada de viagens aberta, é preciso estar preparado para todas as situações que podem ocorrer - iStock

Vinícius Lacerda Ribeiro* Publicado em 17/12/2021, às 16h30

Depois de quase dois anos reclusos, está aberta a temporada de viagens, festas e festivais. Seja na farofa da GKay ou em um festival no navio, precisamos estar preparados para diversas situações que possam ocorrer, além de manter alguns cuidados com a nossa saúde. 

PrEP e tratamento como prevenção (TasP)

Se você já estava tomando a profilaxia pré-exposição no esquema diário ou se você vive com HIV e realiza a terapia antirretroviral, não se esqueça de manter a tomada diária de tais medicamentos, preferencialmente nos mesmos horários. O uso de álcool e outras substâncias, além da mudança na nossa rotina de sono e alimentação, podem nos fazer esquecer de tomar nossos remédios. Alguns aplicativos nos ajudam a lembrar de tomar nossas medicações. Lembre-se também de renovar sua receita e conferir se há comprimidos suficientes para todos os dias da viagem ou do festival.

Se você quer iniciar a PrEP apenas durante suas férias ou viagem, também é possível. Você começa a tomar 1 comprimido diário 7 dias antes da viagem, continua tomando 1 por dia em todos os dias que você estiver viajando e depois mantém por mais 7 dias depois que você voltou pra casa. Lembrando que para iniciar a PrEP, seja qual esquema for, você precisa de acompanhamento médico e realizar exames e sorologias antes e durante o tratamento.

Intestino desregulado e chuca

Durante as viagens, costumamos sair muito da nossa rotina alimentar. Além do mais, ingerimos álcool e outras substâncias que desregulam nosso intestino. É muito comum episódios de diarreia ou o intestino ficar mais preso.

Existe até uma condição chamada “diarreia do viajante”, causada por micro-organismos a que não estamos acostumados no dia a dia e pelo consumo de alimentos que não estão na nossa dieta. Para ajudar a prevenir tais episódios, prefira consumir água mineral de garrafa e outros alimentos embalados.

Caso a diarreia ocorra assim mesmo, tente consumir alimentos que ajudem a prender ou pelo menos não soltem muito, tome probióticos e lembre-se de ingerir bastante líquido. Evite sempre usar antidiarreicos como a loperamida, pois a diarreia é um mecanismo de defesa para eliminar microorganismos e toxinas que agridem a mucosa dos intestinos.

Caso seu intestino fique preso durante as viagens, o consumo de fibras como o psyllium, a linhaça, a chia ou a aveia auxiliam a manter seu hábito intestinal. Leve sempre na sua mala, pois nunca se sabe se é possível encontrar tais fibras no local onde você for. Além disso, consumir frutas como kiwi, mamão, ameixa e suco de laranja, bem como lembrar de ingerir bastante água (no mínimo dois litros por dia).

Muitas vezes os locais não têm a duchinha para fazer a chuca. Por isso é interessante levar um reservatório como um frasco de enema que você pode usar de forma individual ou um reservatório descartável (por exemplo o In-M) que você coloca água da torneira. Evite também as duchas compartilhadas devido ao risco de transmissão de infecções.

Confira:

Drogas

O uso de drogas de procedência desconhecida exige cuidado redobrado. É imprevisível o efeito delas no nosso organismo, por isso reduza a dose a qual você está acostumado e evite sempre misturar com álcool e outras drogas. Cuidado com a sua bebida também, devido ao risco de adicionarem substâncias para te sedar e fazer o “boa noite Ciderella”. 

Quando estamos sob o efeito de tais substâncias, estamos mais vulneráveis à exposições sexuais desprotegidas, pois esquecemos de utilizar os diversos métodos de prevenção combinada (PrEP, preservativo, lubrificantes). Caso você acredite ter sido exposto a uma relação sexual desprotegida ou não se lembre do que ocorreu, você tem até 72 horas para iniciar a profilaxia pós-exposição (PEP) ao HIV e a outras infecções sexualmente transmissíveis (IST).

No mais, é hora de relaxar, levar seu comprovante de vacinação para o Covid e curtir suas férias!

*Vinícius Lacerda Ribeiro é cirurgião do aparelho digestivo