Doutor Jairo
Assista » Tira dúvidas

Estou assistindo mais pornô na pandemia; é normal?

Estudos têm relacionado o excesso de pornografia a problemas de ereção
Estudos têm relacionado o excesso de pornografia a problemas de ereção - Freepik

Redação Publicado em 13/05/2021, às 13h51

Doutor, estou assistindo mais pornografia e me masturbando mais na pandemia. Isso é normal?

Grande parte das pessoas está enfrentando ansiedade causada por todo o contexto da Covid-19 no país e pela rotina restrita. Em alguns momentos da vida, principalmente quando estamos ansiosos, acabamos consumindo mais pornografia e se masturbando mais.

Esse aumento pode interferir nos estudos, trabalho, relacionamentos, amizades e outras áreas da vida. Por isso, é importante diminuir um pouco a frequência e tentar controlar essa ansiedade de outras formas, como com atividade física e meditação.

Se, mesmo assim, o consumo do pornô e a masturbação ainda acontecerem em um ritmo maior, o ideal é procurar um especialista capaz de ajudar com essa questão.

Como saber se o pornô virou “vício”?

Podemos falar que alguém tem uma dependência ou compulsão quando perde o controle sobre determinado comportamento. Quando a prática começa a ocupar um espaço muito grande na vida da pessoa, a ponto de atrapalhar o trabalho, o estudo e os relacionamentos, aí sim podemos falar que existe um problema e talvez pensar em procurar uma terapia.

Veja que, ao falar de "dependência de pornografia", estamos falando de algo diferente da dependência de drogas, álcool ou cigarro. Mas o consumo exagerado de pornografia pode, sim, trazer consequências para a vida de uma pessoa - e é fundamental buscar ajuda se isso estiver acontecendo.

Pode atrapalhar o sexo?

Vários estudos têm mostrado que o consumo excessivo de pornografia, principalmente pelos homens, pode causar problema de ereção. Possivelmente, essa disfunção seja relacionada aos estímulos dos vídeos, que trazem uma dimensão exagerada da performance sexual, levando a comparações indevidas e gerando ansiedade.

Outro ponto é que algumas pessoas desenvolvem quase que uma dependência dessas produções. Assim, só conseguem ficar excitadas ao assistir pornografia, o que também pode dificultar no momento da relação sexual.

A recomendação é ter atenção e não exagerar nem no tempo e nem na quantidade de estímulos buscados nesse tipo de conteúdo. O melhor termômetro sempre é você mesmo! E, se achar que está exagerando, tente controlar um pouco.