Doutor Jairo
Leia » Sexualidade

"De Férias Com o Ex": perguntar sobre órgão genital de trans ofende?

Embora Tarso tenha achado a pergunta tranquila, nem todos concordariam com ele
Embora Tarso tenha achado a pergunta tranquila, nem todos concordariam com ele - Reprodução / Instagram

Redação Publicado em 09/04/2021, às 10h00

Na última quinta-feira (8), estreou simultaneamente na MTV e no Amazon Prime a segunda temporada do "De Férias com o Ex Brasil: Celebs". O reality, que foi gravado em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, teve um elenco mais diversificado dessa vez e contou com a presença do primeiro homem trans do programa.

Logo no primeiro episódio, Tarso Brant expõe para os colegas que é trans e se depara com o choque do participante Ortega.

"Eu sou mais hétero. Gosto mais de mulher, mas já fiquei com homem. Tive uma experiência na minha vida que eu pude vivenciar os meus dois lados numa única existência. Eu sou trans", explicou ele.

O colega seguiu perplexo e Tarso contou que, com a ajuda de hormônios, ele conseguiu mudar bastante o corpo.

Um pouco mais para a frente, nesse episódio, os participantes estão conversando e Ortega volta ao assunto e pergunta: "Tu tem pinto ou não?".

Tarso responde que não e o outro continua:  "Não tem? É xereca normal? Eu nunca conversei com um trans abertamente".

Nesse momento, outro participante, Matheus Pasquarelli, intervém:  "Eu não tenho propriedade para falar sobre isso, mas é muito desconfortável você chegar numa pessoa trans e perguntar o que é que ela tem".

Já em coletiva de imprensa, Tarso contou que no momento não se incomodou com as perguntas. "Foi uma conversa espontânea. Eu levo as curiosidades numa boa, até perguntas um pouco preconceituosas. Tudo é curiosidade".

Mas é ofensivo perguntar sobre o órgão genital para uma pessoa trans?

Embora Tarso tenha dito que ele não se ofendeu, não se pode tratá-lo como o porta-voz de toda a comunidade trans. Em geral, esse tipo de pergunta sobre as intimidades de alguém são, sim, ofensivas e desconfortáveis.

A não ser que se tenha muita intimidade e abertura para conversar sobre isso com a outra pessoa, não é legal perguntar para ela sobre esse tipo de assunto.

Além do mais, vale lembrar que não é porque uma pessoa foi ou não operada que passa a ser mais pertencente a um gênero. Os órgãos genitais não são fatores determinantes para caracterizar um homem ou mulher trans.

Veja também: