Pular para o conteúdo

“Tenho 38 anos, nunca amei nem fui amado”: será que ainda pode acontecer?

Jairo Bouer

25/10/2020 08:00




Esta semana a gente recebeu uma dúvida que me deixou bastante tocado. Eu quis dividi-la com vocês porque ela não só é importante para quem mandou, mas também é importante para a gente repensar uma série de questões em relação à vida afetiva de todos nós. A pergunta é de um homem e diz o seguinte:

Jairo, tenho 38 anos, nunca amei e nunca fui amado. Acho que sou feio, não me sinto bem como homem, sempre fui muito sozinho, eu não consigo confiar nas pessoas e sinto um vazio no peito que às vezes chega a doer. Você acha que eu posso amar, ou já está muito tarde para mim? Será que eu preciso de algum remédio para aliviar esse meu vazio?”

 

Amar, se amar e ser amado

Em primeiro lugar, eu queria agradecer à pessoa que enviou essa pergunta, pois, se ele topou compartilhar essa dificuldade, é porque ele confia na gente.

O segundo ponto que acho importante frisar é que nunca, nunca é tarde para a gente se redescobrir, se transformar e poder amar outra pessoa. Vai parecer um lugar comum, mas acho que, antes de ter espaço para outra pessoa, para amar e ser amado, é preciso ter uma relação melhor com a gente mesmo.

Ele conta que sempre teve questões muito fortes em relação à autoestima e sempre foi muito sozinho. E quando temos dificuldade em aceitar quem somos, é difícil gostar de alguém. É como se, ao não haver espaço para si mesmo, fica difícil caber outra pessoa. Então o primeiro passo é melhorar essa relação com ele mesmo.

Vazio que dói é depressão?

Será que ele tem uma condição clínica, uma depressão? Pode ser. Então o terceiro ponto é que ele deve procurar um profissional de saúde mental (um psicólogo, um terapeuta ou um psiquiatra) que possa fazer uma avaliação e, se for o caso, ser tratado e medicado.

Se não for uma depressão clínica, mas uma questão de funcionamento psíquico, é possível que, com ajuda de um psicólogo, ele também melhore muito, comece a se perceber melhor e a se cobrar menos. Com isso, ele vai se sentir mais seguro e com uma autoestima melhor.

Depois que você buscar ajuda e melhorar, vencer essa transição, existe ainda tempo de gostar de alguém e ser gostado por alguém? Eu não tenho dúvida que sim! A gente recebe muitos relatos, de pessoas que se redescobrem muito mais velhas, que descobrem novas paixões depois de muito tempo sozinhas. Então, sim, ainda tem espaço para você mudar profundamente a sua vida.

Saiba mais: 

Entenda como as redes sociais podem afetar a nossa autoestima

Encanação com tamanho do pênis aumenta quando autoestima está abalada

 

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS