Doutor Jairo
Assista » Dicas

Sexo anal: saiba o que fazer na "hora H" para não ter nenhum problema

Alguns cuidados básicos podem tornar a relação mais prazerosa e segura
Alguns cuidados básicos podem tornar a relação mais prazerosa e segura - Arte/Site Doutor Jairo

Jairo Bouer Publicado em 12/01/2021, às 21h04

Sexo anal é um tema que sempre gera muitas dúvidas e curiosidades, por isso decidimos reunir, aqui, algumas dicas para aumentar o prazer e evitar problemas durante ou depois da relação. 

1ª dica: ambos devem estar a fim e de acordo. Se a pessoa se sentir pressionada, ela provavelmente não vai relaxar. E, sem isso, fica muito difícil fazer sexo anal

2ª dica: é preciso ir devagar. O esfíncter e a região do ânus são formados por tecidos musculares, que são elásticos, mas tanto podem se dilatar quanto se contrair. Se a pessoa "for com muita sede ao pote", o esfíncter sofre uma contração reflexa, e isso provoca muita dor e desconforto. 

3ª dica: use sempre camisinha. O ânus é uma região do corpo contaminada com muitos micro-organismos, como bactérias, vírus e fungos. Por isso, se o casal faz sexo sem preservativo, há risco aumentado de infecção. E isso sempre causa dor de cabeça – é preciso ir ao médico, usar antibióticos etc. 

4ª dica: use sempre lubrificante, e tem de ser um produto à base de água. Não vale usar sabonete, hidratante, condicionador, azeite, óleo ou manteiga, que podem danificar a composição da camisinha. O mais seguro para evitar que isso aconteça, bem como para evitar risco de alergia ou irritação é usar os lubrificantes à base de água. Eles podem ser comprados nas prateleiras das farmácias e geralmente ficam ao lado dos preservativos. 

5ª dica: para quem gosta de variar, lembre-se que para cada destino do corpo é preciso usar um preservativo diferente. Em outras palavras, se o casal está fazendo sexo anal e decide mudar para o vaginal, ou vice-versa, é preciso parar e trocar a camisinha. Por quê? Para evitar que os micro-organismos de uma região do corpo sejam levados para outra, o que aumenta o risco de infecções.