Suicídio de jovens teve pico após lançamento de série, mostra análise

Publicado em Destaque, Notícias

Semana passada eu destaquei, aqui, um estudo sobre os impactos da série “13 Reasons Why”, da Netflix, sobre telespectadores jovens. Mas um novo estudo, publicado esta semana, me faz ao voltar ao tema. O trabalho diz que houve 195 mais mortes por suicídio que o esperado entre adolescentes de 10 a 17 anos de idade nos nove meses seguintes ao lançamento da série nos EUA, em 2017. Na faixa dos 18 anos ou mais não houve alterações significativas, segundo os autores, do Centro de Pesquisa e Prevenção ao Suicídio.

Um dos pontos que mais chama atenção é que o mês de abril daquele ano – um mês após a série ter ido ao ar, foi o que teve mais registros de suicídio num período de cinco anos consecutivos (de janeiro de 2013 a dezembro de 2017).

Os resultados deixam claro que adolescentes são particularmente suscetíveis ao chamado efeito Werther, quando uma notícia detalhada sobre o suicídio de uma pessoa famosa faz o número de mortes aumentar nos meses após a exposição.

O trabalho, financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, enfatiza que os criadores da série erraram ao mostrar como a personagem se mata. Essa é uma orientação que as autoridades de saúde sempre dão à imprensa, por exemplo, ao noticiar suicídios de celebridades.

Após a divulgação do trabalho, a Netflix enviou seu posicionamento: “Nós vimos este estudo e estamos analisando a pesquisa, que contradiz outro estudo divulgado semana passada pela Universidade da Pensilvânia. É um tema de extrema importância e temos trabalhado muito para assegurar que estamos lidando de maneira responsável com essa questão sensível”.

Esse estudo publicado na semana passada, também detalhado aqui, indicou que, para certos jovens que viram as duas temporadas completas, a mensagem positiva (de combate ao bullying e ao suicídio) prevaleceu. Já para adolescentes mais vulneráveis, em especial os que viram apenas alguns episódios, a série trouxe a ideia de se matar à mente. A atual pesquisa mostra as consequências, na prática, desse efeito de contágio. Com a expectativa de lançamento de uma nova temporada em breve, é importante que os pais fiquem atentos.

*Este post foi atualizado em 01/05/2019 com o posicionamento da Netflix