Pular para o conteúdo

Sobre o bullying e a biologia do órgão excretor

Jairo Bouer

14 de outubro


Do ponto de vista do comportamento jovem e da saúde pública, algumas questões ganharam destaque no debate eleitoral, mas outras ficaram em segundo plano. Vale a pena pensar para quais rumos esses pontos vão migrar nos próximos quatro anos.

A lista é grande: métodos contraceptivos mais efetivos na prevenção da gravidez na adolescência (que ainda é da ordem de uma a cinco meninas engravidando antes dos 18 anos), discussão da legalização do aborto (hoje uma das principais causas de morte entre mulheres jovens e pobres no País), atenção à saúde emocional (a depressão atinge quase 30% das garotas e o suicídio cresce entre os mais jovens no Brasil), o trabalho mais efetivo na prevenção do uso precoce de álcool e outras drogas, além de uma postura mais ativa no controle do bullying nas escolas, talvez um dos motores mais fortes de violências, preconceitos e intolerâncias, principalmente na esfera sexual.

Leia o texto completo aqui: http://goo.gl/gX64EF

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS