Reprimir emoções não faz bem para o humor e ainda pode agravar doenças

Publicado em Destaque

Expressar os verdadeiros sentimentos não é bom apenas para a sua saúde mental. Uma pesquisa sugere  que tentar silenciar as próprias emoções pode estar associado a um risco mais alto de derrames e infartos entre as mulheres. Os resultados são apresentados esta semana durante a reunião anual da Sociedade Norte-Americana de Menopausa (Nams, na sigla em inglês), realizada em Chicago.

Cientistas do departamento de psiquiatria da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, analisaram questionários e exames de 304 mulheres não fumantes que estavam perto de entrar ou já tinham passado pela menopausa.

Eles se concentraram em uma característica que, há muito tempo, tem sido ligada a transtornos emocionais: a tentativa de silenciar as próprias emoções. Muitas vezes as pessoas evitam expressar o que sentem para evitar conflitos nos relacionamentos interpessoais. O problema é que, ao proteger os outros, esses indivíduos podem acabar sofrendo ainda mais.

Trabalhos anteriores já tinham associado o auto-repressão a relatos de problemas de saúde nas mulheres, mas, desta vez, os pesquisadores decidiram checar se as descrições eram verdadeiras. Com ajuda de exames, ele encontraram uma forte ligação entre a tendência a mascarar os próprios sentimentos e o acúmulo de placas de gordura e outras substância nas carótidas. Quando em excesso, essas placas podem prejudicar a irrigação de sangue em órgãos vitais, como o cérebro e o coração.

Os questionários avaliaram questões psicológicas, como a frequência com que as mulheres participantes colocavam a raiva para fora ou deixavam de cuidar das próprias necessidades para suprir as de outras pessoas, como parceiros ou parentes.

Para os autores, faz sentido que as experiências das mulheres em relacionamentos íntimos possam ter impacto em sua saúde cardiovascular. Afinal de contas, bem-estar físico e mental estão ligados: quando as pessoas estão emocionalmente equilibradas, tendem a cuidar melhor de si e levar uma vida mais saudável.

Além disso, há cada vez mais evidências de que a liberação crônica de certos hormônios ligados ao estresse podem ter um efeito inflamatório no organismo. Essa mesma inflamação é capaz de acelerar o entupimento das artérias, o que, com o passar do tempo, aumenta o risco de infartos e derrames. Ainda que esse estudo tenha sido feito em mulheres na menopausa, não resta dúvidas de que cuidar das emoções é importante em qualquer idade.