Pular para o conteúdo

Vínculo amoroso com a mãe pode evitar abuso na adolescência

Jairo Bouer

30 de outubro


Ter um vínculo amoroso forte com a mãe pode diminuir a probabilidade de um adolescente entrar num relacionamento abusivo, sugere um estudo realizado pela Universidade de Buffalo, nos EUA. E mais: o carinho e a aceitação materna podem ter um efeito protetor mesmo quando essa mãe enfrenta problemas no casamento.

Diversas pesquisas já mostraram que jovens expostos a conflitos conjugais cedo na vida apresentam uma tendência maior a sofrer abuso em relacionamentos românticos mais tarde. Por isso, os pesquisadores da universidade decidiram estudar medidas capazes de amortecer o impacto negativo desse tipo de situação, que nem sempre pais e mães conseguem evitar por uma série de razões.

A equipe entrevistou mais de 140 adolescentes que cresceram em famílias de alcoólatras, em que conflitos conjugais eram uma realidade frequente em casa. Nem todos os jovens acabaram envolvidos em situações de abuso mais tarde, em relacionamentos românticos. O principal fator de proteção identificado pelos pesquisadores foi o vínculo de qualidade com a mãe.

De acordo com os autores, o efeito “amortecedor” provavelmente se deve ao fato de que o amor materno fortalece a auto-estima do jovem. A conclusão foi publicada no Journal of Interpersonal Violence. Mas é bom mencionar uma coisa: na maioria das famílias avaliadas, o pai é quem tinha problemas com o álcool.

Apego seguro 

O relacionamento de uma criança com os pais ou cuidadores é algo que pode ter forte impacto na maneira como um indivíduo se vê e também como interpreta os outros. Quando o cuidador principal é abusivo ou o vínculo é inconsistente, a pessoa pode concluir que não merece afeto, ou então tende achar que os outros não são confiáveis. Isso, é claro pode ter reflexo lá na frente, quando essa pessoa tiver um parceiro íntimo.

Ser aceito, respeitado e amado pela mãe, por outro lado, ajuda a criança a desenvolver a noção de que é digna de amor e respeito. Mais tarde, num relacionamento romântico, essa pessoa vai ser mais propensa a se afastar de alguém que a trata com desdém ou agressividade. E eu vou além: um jovem com boa auto-estima é mais propenso a se proteger no sexo e a evitar outros comportamentos de risco, como uso de drogas.

Estudos indicam que mais de 30% dos adolescentes são vítimas de algum tipo de abuso cometido por parceiros – físico, emocional ou até sexual. É muita gente. Para evitar que isso aconteça, é fundamental que pais e cuidadores invistam na resolução de conflitos e na boa comunicação com os filhos, mesmo que para isso seja preciso buscar ajuda externa.