Pular para o conteúdo

Uso de maconha na gravidez é associado a problemas de saúde mental de crianças

Jairo Bouer

28/09/2020 09:00




Filhos de mulheres que usaram maconha durante a gravidez apresentam risco elevado de desenvolver problemas de saúde mental ou comportamental. O alerta é de pesquisadores da Universidde de Washington, nos EUA, em estudo publicado no periódico Jama Psychiatry.

Em comparação com crianças não expostas, as que tiveram contato com a droga durante a vida intrauterina foram mais propensas a apresentar transtornos mentais, dificuldades de memória e aprendizado, e menor volume cerebral durante a infância.

Como o estudo foi feito

A equipe avaliou dados de quase 11.500 crianças. Os dados foram coletados entre junho de 2016 e outubro de 2018 com crianças de 9 a 11 anos.

Do total da amostra, 655 crianças foram expostas à cannabis no útero, sendo que 413 foram expostas apenas antes de as respectivas mães descobrirem a gravidez. Houve uma correlação modesta entre as taxas de uso de álcool e cigarro na gestação e o uso de maconha.

Uso pré-natal é pior

O risco foi especialmente maior para crianças expostas em fases mais avançadas da gestação, ou seja, depois que as mães já sabiam que estavam grávidas. Esses filhos tiveram uma tendência mais alta a sofrer com episódios psicóticos, impulsividade, problemas de atenção e de socialização.

Uma das possíveis razões para essa associação, segundo os pesquisadores, é que o sistema endocanabinoide, presente no corpo humano, só se expressa com cerca de seis semanas de gestação. Esse sistema é que viabiliza os efeitos do THC, princípio ativo que dá o “barato” da maconha, no organismo.

Consumo aumentou

A descoberta é importante, já que o uso de maconha durante a gravidez aumentou em mais de 100%, de 2002 a 2017, nos EUA. Vários estados norte-americanos permitem o uso medicinal da cannabis, e alguns legalizaram o uso recreativo.

Ainda que a droga não seja legalizada no Brasil, a aprovação em outros países, bem como a divulgação dos efeitos medicinais da cannabis, podem fazer com que muitas gestantes acreditem que o consumo seja seguro.

(Da Redação do Site do Dr. Jairo Bouer)

Leia mais:

Lembrete para as grávidas: é melhor ficar bem longe da maconha

Estudo mostra que gestantes minimizam riscos da maconha

Maconha pode afetar cérebro dos adolescentes para sempre

 

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS