Pular para o conteúdo

Tecnologia pode ajudar pais que perdem o controle com os filhos

Jairo Bouer

14 de outubro


Cientistas da Microsoft e da Universidade da Califórnia desenvolveram uma tecnologia para ajudar pais que costumam perder a cabeça em momentos de tensão com os filhos.

O sistema combina um aplicativo para celular e um sensor que identifica quando os pais estão estressados e oferece estratégias baseadas em estudos científicos para ajudá-los a lidar com as crianças nas horas difíceis. Tudo em tempo real.

Chamado ParentGuardian (ou Guardião dos Pais, em tradução livre), o sistema foi inicialmente testado em um pequeno grupo de pais de crianças com TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade).

A invenção foi baseada nos treinamentos de terapia cognitivo-comportamental voltados para quem tem filhos com o transtorno, algo que tem se mostrado eficiente a longo prazo. Segundo estudos, a estratégia melhora a autoconsciência das crianças e reduz o estresse dos pais.

O difícil é aplicar o que foi aprendido na hora “H”, quando se perde o controle da situação. Daí a ideia de criar um sensor para identificar os momentos de estresse e lembrar o que precisa ser feito no calor do momento.

No teste, a tecnologia foi usada em um grupo com dez pais (a maioria mulheres), ao longo de três meses. Eles usaram os sensores todos os dias das 18h às 22h, horário em que as crianças estão em casa e é preciso colocá-las para jantar e, mais tarde, dormir.

Em uma escala de 0 a 7, os pais deram ao aplicativo uma nota média de 5,1, o que demonstra que a tecnologia foi útil.

O sistema conta com um sensor em forma de pulseira, que mede a atividade elétrica da pele do usuário. Em momentos de estresse, pequenas quantidades de suor invisíveis a olho nu são expelidas, o que é detectado pelo aparelho e transmitido ao celular.

As mensagens são enviadas não só para os smartphones dos pais, mas também para tablets espalhados pela casa. Algumas delas lembram os pais de respirar fundo e contar até cinco antes de responder, outras frisam que eles são o principal modelo para os filhos.

A cada 90 minutos, o aplicativo também envia dicas como a importância de agradecer à criança por ter feito aquilo que foi pedido, por exemplo.

A ideia pode até gerar críticas – afinal, será que é preciso depender de um aplicativo para lidar com crianças difíceis? Mas o objetivo é dar apenas um empurrão inicial, ajudando os pais a dominar seus impulsos e agir corretamente no futuro. Agora, é preciso testar o sistema em grupos maiores e analisar os efeitos a longo prazo para saber se a tecnologia realmente funciona.

 

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS