Pular para o conteúdo

Risada social faz o corpo liberar endorfinas, mostra estudo

Jairo Bouer

14 de outubro 2019 7:47




amigosrestaurante700 - Risada social faz o corpo liberar endorfinas, mostra estudo

Dá desânimo ir para uma festa com os amigos depois de um dia puxado no trabalho? Pois um estudo sugere que mesmo aquelas risadas que a gente dá só porque todos estão rindo, em situações sociais, ajudam o cérebro a liberar endorfina, substância que alivia a dor e a tensão, e, por isso mesmo, pode reforçar laços de amizade.

A afirmação é de pesquisadores das universidades de Oxford, no Reino Unido, e de Aalto, na Finlândia.  Eles fizeram um experimento com um grupo de voluntários submetidos a exames de tomografia por emissão de pósitrons (PET), depois de receberem injeções de contraste para destacar os receptores opioides (substâncias que aliviam a dor) no cérebro de cada um.

Os participantes fizeram o exame duas vezes: primeiro, depois de passar um tempo considerável sozinhos no laboratório e, na segunda vez, depois de assistir a vídeos engraçados com os amigos.

O riso social levou a sensações prazerosas e aumentou significativamente a liberação de endorfinas e de outras substâncias opioides no cérebro. Os pesquisadores também viram que, quanto mais receptores opioides os participantes tinham no cérebro, mais eles riam durante o experimento.

As descobertas foram publicadas na revista científica The Journal of Neuroscience.

Os autores do estudo concluíram que o riso social pode ser fundamental para a formação, reforço e manutenção dos vínculos sociais entre os humanos. Isso aconteceria porque a endorfina gera relaxamento e prazer, o que se traduziria no desejo de se encontrar de novo com aquelas pessoas.

Segundo os autores, os primatas têm algo parecido, mas, como não se comunicam verbalmente, a liberação de endorfina é mais demorada. Por isso, eles acreditam que a comunicação vocal trouxe uma vantagem enorme para os seres humanos. E, como o riso é contagioso, esse efeito se espalha muito mais, gerando redes sociais bem maiores e complexas.

 

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS