Pular para o conteúdo

Quer emagrecer ou economizar? Não valorize muito cada sacrifício

Jairo Bouer

14 de outubro


Quando estão em dieta, as pessoas costumam achar que abrir mão da sobremesa é uma realização enorme. E até pode ser, mas a conquista não deve ser valorizada demais, de acordo com um estudo publicado no Journal of Consumer Research.

Pesquisadores das universidades do Colorado e Texas A&M, nos EUA, dizem que as pessoas tendem a superestimar progressos e subestimar contratempos ao perseguir determinados objetivos de longo prazo, como emagrecer ou poupar dinheiro para a aposentadoria.

Ao avaliar sete estudos, os autores encontraram evidências desse “viés de progresso”, ou seja, a crença de que o positivo tem mais impacto que o negativo. Isso faz com que as pessoas achem que estão fazendo uma grande coisa, quando na verdade pode não ser bem assim.

Eles dão o seguinte exemplo para deixar o conceito mais claro: quem economiza 100 reais por mês acredita que está perto de cumprir o objetivo de juntar 100 mil reais para uma reforma. Mas, ao gastar 100 reais, a pessoa não acha que se distanciou tanto assim da meta, entendeu?

O mesmo vale para dietas. A pessoa acha que, deixando de tomar refrigerante com açúcar, por exemplo, vai conseguir perder dois quilos no fim do mês. Mas, ao esvaziar uma travessa de brigadeiros na festa, não sente que fez algo tão grave assim para arruinar seu plano.

Para os pesquisadores, esse viés de progresso faz com que as pessoas parem de trabalhar por um objetivo antes da hora. É por isso, também, que muita gente fica decepcionada ao iniciar uma atividade física e não ver diferença nenhuma na balança: por causa dos exercícios, elas se sentem liberadas para comer a mais.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS