Pular para o conteúdo

Maioria das testemunhas de cyberbullying não age na hora, mostra estudo

Jairo Bouer

14 de outubro


CYBERBULLYING300 - Maioria das testemunhas de cyberbullying não age na hora, mostra estudoVocê já presenciou alguma cena de bullying e fez algo para impedir? Um estudo mostra que apenas 10% dos jovens que veem um colega sendo intimidado na internet tentam intervir diretamente.

A pesquisa foi feita com 221 estudantes universitários que participaram de uma sala de bate-papo on-line sem saber que o autor do bullying e a vítima atuavam para o experimento. Os participantes julgavam estar respondendo pesquisas sobre personalidade, e tinham um monitor à disposição para prestar assistência.

Embora poucos tenham tomado alguma atitude, como impedir o autor de continuar com a agressão ou socorrer o jovem humilhado, cerca de 70% dos estudantes que perceberam a situação tentaram comunicar o fato depois que o bate-papo foi encerrado.

O resultado não chegou a surpreender a principal autora do estudo, Kelly Dillon, da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos, que foi orientada pelo professor de psicologia Brad Bushman. Segundo ela, os jovens em geral evitam confrontos diretos com os “valentões” da escola.

Um artigo sobre o experimento foi publicado na revista Computers in Human Behavior.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS