Pular para o conteúdo

Grosseria no trabalho é algo contagioso, adverte pesquisa

Jairo Bouer

14 de outubro


bullying300Trabalhar em um ambiente ruim, com gente hostil, é algo que ninguém aguenta por muito tempo. Um estudo feito por psicólogos mostra que ter de aguentar grosseria é o tipo de coisa que mais causa insatisfação entre empregados. O trabalho indica, ainda, que, quando ninguém faz nada, esse tipo de comportamento tende a se espalhar na empresa.

Segundo pesquisadores do Conselho Sueco de Pesquisas de Saúde, Vida no Trabalho e Bem- estar, desrespeito é um tema que, de forma, geral, não faz parte das legislações trabalhistas. Talvez por isso seja tão difícil lidar com ele. Pode incluir desde e-mails maliciosos e fofocas, como a exclusão de determinada pessoa dos eventos sociais com a desculpa de que foi sem querer. Ou seja: é algo mais sutil do que o bullying ou o assédio moral, que são problemas bem documentados.

A equipe observa que a causa mais comum desse tipo de comportamento é a imitação. Algum funcionário começa a tratar outro dessa forma e os outros acabam fazendo a mesma coisa por receio de desagradar.

Na pesquisa, que contou com 6.000 entrevistados, 75% afirmaram ter sido submetidos a grosserias pelo menos uma vez no ano anterior, um número bastante alto. Considerando que esse tipo de mau trato é contagioso, os pesquisadores alertam que há o risco de isso criar um círculo vicioso que traz consequências desastrosas para toda a equipe.

Diversos estudos já associaram que ambientes ruins de trabalho podem causar transtornos mentais, insatisfação crônica por parte dos empregados e um índice alto de rotatividade, o que é ruim para a empresa e para os funcionários.

O primeiro passo para tentar conter o problema, acreditam os autores, é que os funcionários em cargos de gerência tenham consciência das consequências desse tipo de comportamento, e tentem intervir ao identificar o problema. A questão é que, em alguns casos, os próprios chefes dão o mau exemplo.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS