Pular para o conteúdo

Estudo mostra como o estigma afeta mulheres com excesso de peso

Jairo Bouer

14 de outubro


BALANCA700

Imagine que você está num jantar ou apresentação e tem cinco minutos para impressionar alguém. A situação deixa qualquer pessoa nervosa, mesmo a mais confiante. Mas, para mulheres com excesso de peso, o receio de ser rejeitado é tão forte que pode até ter consequências negativas para a saúde, a longo prazo, segundo um estudo.

Psicólogos da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, decidiram avaliar se a preocupação em ser rejeitado pode ter impacto nas emoções. Eles descobriram que os resultados dependem do peso e do sexo da pessoa.

Os pesquisadores recrutaram 160 homens e mulheres heterossexuais de diferentes pesos e com idades entre 18 e 29 anos. Cada um foi convidado a fazer um discurso de cinco minutos, dizendo por que seria um bom namorado ou namorada. Metade do grupo foi informada de que o vídeo seria visto por uma pessoa atraente do sexo oposto. À outra metade foi dito que o discurso seria apenas ouvido, por isso a aparência não seria um fator importante.

Para avaliar o medo antecipado da rejeição, cada um tinha que dizer se achava que a outra pessoa iria se interessar por ela ou não. Depois de gravar os discursos, os participantes completaram testes para medir os níveis de autoestima, sensações de autoconsciência, como vergonha, e também de estresse e ansiedade.

As mulheres mais pesadas, ou seja, com um IMC (Índice de Massa Corporal) mais alto, que foram informadas que o vídeo seria assistido (e não só ouvido) foram mais propensas a achar que seriam rejeitadas. Essa preocupação levou a sentimentos de baixa autoestima e estresse.

Para as mulheres magras, o efeito foi exatamente o oposto – elas apresentaram sensações de autoestima elevada e menos estresse, provavelmente porque entendiam que estar em forma seria uma vantagem. Para os autores, isso reflete o quanto magreza e beleza estão entrelaçados na nossa sociedade.

O curioso é que homens mais pesados não tiveram a mesma reação negativa. Para os pesquisadores, ainda que o estudo tenha se limitado ao contexto da paquera, o resultado indica que o sexo masculino não é tão afetado pelo estigma do peso.

Os autores também observam que a simples antecipação da rejeição é suficiente para causar tensão e desconforto às mulheres com excesso de peso. Isso sugere que o estigma pode afetar o bem-estar psicológico delas diariamente, o que, a longo prazo, pode ter implicações sérias. As informações foram publicadas no Journal of Experimental Social Psychology.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS