Pular para o conteúdo

Depilação íntima completa aumenta risco de doenças?

Jairo Bouer

14 de outubro


A depilação íntima completa, conhecida lá fora como “Brazilian wax”, atrai muitos homens e mulheres. Mas será que tirar todos os pelos da região deixa a mulher mais exposta a doenças? Esta é uma das perguntas enviadas por internautas do UOL a Jairo Bouer no @saúde desta semana.

Segundo Jairo, o tema divide a opinião dos especialistas. Para alguns ginecologistas, ter ou não ter pelos na região íntima não faz muita diferença. “Outros já acreditam que uma das funções dos pelos pubianos é filtrar um pouco bactérias, vírus e fungos, e proteger a mulher de infecções”, diz o médico e colunista do UOL.

Como não há consenso, a recomendação é observar como o próprio corpo reage à medida. “Se você depila com frequência, não deixa nenhum pelo e não tem tido nenhum problema de infecção, eu não me preocuparia muito. Agora, se você depila e tem tido infecções recorrentes, aí sim você talvez tenha que pensar em alguma solução intermediária”, sugere Jairo à internauta.

De qualquer forma, ele diz que é sempre bom conversar com o ginecologista de confiança sobre o assunto.

Outra internauta, que tem 23 anos, quer saber se é normal o marido não gostar de sexo e preferir se masturbar sozinho a transar com ela. Para Jairo, é preciso checar se o relacionamento afetivo está bem, pois qualquer conflito pode se refletir no sexo. Outra possibilidade, diz o colunista, é que algum problema de ereção esteja fazendo com que o marido evite procurá-la.

“Acho que está faltando um bom papo, principalmente se vocês querem continuar casados”, recomenda Jairo. E se, sozinho, o casal não conseguir resolver a situação, vale a pena procurar um terapeuta.

A última pergunta do programa é de uma internauta que quase não tem sangramentos durante a menstruação – a ponto de não precisar de absorventes – e não usa anticoncepcional. Ela quer saber se isso é sinal de que ela seja menos fértil que outras mulheres.

Segundo Jairo, sangrar pouco não significa ausência de ovulação ou problema de fertilidade. Porém, só os exames de rotina no ginecologista podem indicar se está tudo bem com os hormônios.

Assista à íntegra desta entrevista e aos demais programas no UOL Saúde. E se você tem alguma pergunta sobre saúde, sexo ou comportamento, envie para drjairobouer@uol.com.br. Algumas questões serão selecionadas e respondidas nos futuros vídeos.

via UOL Notícias

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS