Pular para o conteúdo

Cérebro de viciados em games na internet é um pouco diferente, diz estudo

Jairo Bouer

14 de outubro


JOVEMNETSAUDE700

Você não consegue ficar longos períodos longe do videogame? Então saiba que seu cérebro funciona de forma um pouco diferente, segundo um estudo publicado no periódico Addiction Biology.

Pesquisadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, e de Chung-Ang, na Coreia do Sul, avaliaram exames de ressonância magnética de 78 jovens de 10 a 18 anos diagnosticados como dependentes de jogos na internet e perceberam algumas características em comum no cérebro dos garotos.

Eles compararam os resultados com exames de 73 indivíduos com idade equivalente, mas sem o vício por jogos, e notaram algumas diferenças significativas.

O estudo sugere que a conectividade do cérebro dos dependentes permite que eles respondam mais rápido a informações novas. No entanto, essa mesma qualidade tem um efeito colateral: torna os jovens mais suscetíveis a distrações e a dificuldades para controlar os impulsos.

Vale lembrar que ser viciado em videogame é diferente de gostar de jogar. Jovens dependentes tem a vida realmente afetada porque não conseguem controlar seu impulso. Muitos deixam de se relacionar com outras pessoas e de se concentrar nos estudos, por exemplo. Há casos até de adolescentes que ficam sem comer e sem dormir diante do computador.

Os pesquisadores esclarecem que ainda não é possível saber se o jogar crônico leva a essas alterações no cérebro, ou se as alterações é que levam um indivíduo a jogar compulsivamente. De qualquer forma, se você acha que às vezes passa tempo demais no videogame, vale a pena tentar fazer alguma coisa a respeito.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS