Pular para o conteúdo

Altos e magros nem sempre têm mais parceiros sexuais, diz estudo

Jairo Bouer

14 de outubro


alturaepeso300Ser alto e magro nem sempre é sinônimo de facilidade para encontrar parceiros ou parceiras sexuais. É o que mostra um estudo norte-americano que avaliou a relação entre altura, peso e história sexual de mais de 60 mil homens e mulheres heterossexuais.

Os entrevistados da pesquisa, conduzida pela Universidade Champan em parceria veículos de imprensa, tinham de 30 a 44 anos. O número médio de parceiros sexuais foi oito, tanto para homens quanto para mulheres.

A maior parte dos entrevistados (58% deles e 56% delas) relatou ter tido mais de cinco parceiros sexuais ao longo da vida. Mas 29% dos homens e 23% afirmaram ter transado com mais de 14 pessoas diferentes.

De um modo geral, os pesquisadores constataram que houve poucas variações no número de parceiros encontrado para indivíduos com diferentes Índices de Massa Corporal (IMC) e alturas. Mas elas foram estatisticamente relevantes.

A hipótese de que os homens mais altos teriam o maior número de parceiras não foi totalmente comprovada. Na verdade, apenas homens muito mais baixos que a média relataram ter tido um número menor de parceiras, o que não aconteceu com os muito altos.

O estudo também revelou que os homens com IMC normal ou acima do peso foram os que apresentaram maior número de parceiras sexuais, enquanto os mais magros relataram uma média mais baixa.

Já em relação às mulheres, as mais magras também foram as que apresentaram menor número de parceiros. Os pesquisadores lembram que isso pode ser devido à presença de transtornos como a anorexia, por exemplo (e, nesse caso, elas não têm tantos parceiros sexuais porque estão enfrentando problemas de saúde). Ou, no outro extremo, elas seriam mais atraentes e, por isso, mais seletivas. Ainda para elas, a altura não fez muita diferença, exceto para as muito baixas.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS