Dormir mal pode anular seus esforços para perder peso, mostra pesquisa

Publicado em Destaque, Notícias

Crédito: Fotolia

Você se esforça para comer menos, corta os doces do cardápio, vai à academia toda semana, mas, ao se pesar no fim da semana, nada de perder peso? Vale a pena verificar se você tem dormido o sono dos justos. Isso mesmo. Vários estudos já mostraram a ligação entre dormir mal e acumular mais gordura ao redor da cintura. Agora, um estudo recém-publicado no International Journal of Obesity mostra que quem dorme pouco ou tem o sono interrompido tem mais dificuldade de perder peso do que pessoas que descansam o suficiente, mesmo seguindo um programa de emagrecimento.

A maioria dos adultos precisa de pelo menos sete horas de sono para se sentir bem durante o dia, mas muita gente não consegue atingir esse ideal de maneira constante. Nos EUA, pesquisas mostram que 36% da população acorda cansada sempre.

A pesquisa coordenada por uma equipe da Universidade Rovira i Virgili, na Espanha, analisou as mudanças no peso e em medidas de gordura corporal e saúde de 1.986 pessoas que também tiveram seu sono monitorado. Todos os participantes seguiram uma dieta mediterrânea com baixo teor de calorias, além de um programa de atividade física e apoio comportamental.

Os indivíduos que tinham um sono irregular, ou seja, que não dormiam o mesmo número de horas todas as noites, perderam menos peso, segundo os resultados. Os participantes que apresentaram maior redução de Índice de Massa Corporal (IMC) e circunferência abdominal foram justamente os que tinham um padrão regular e dormiam uma média de 7 a 9 horas por noite.

Os autores ressaltam que a epidemia de obesidade e síndrome metabólica que assola o mundo coincide com um aumento dos distúrbios do sono. Dormir mal não só leva ao aumento do peso como também afeta a circulação, a memória, o humor e até mesmo as relações sociais. Por isso, não se esqueça: ir para a cama não é perder tempo, e sim investir em qualidade de vida.