Pular para o conteúdo

Neurocientista sugere que parar de fumar aos poucos é melhor que de uma vez

Jairo Bouer

14/10/2019 19:24




CIGARRO300 - Neurocientista sugere que parar de fumar aos poucos é melhor que de uma vezUm estudo indica que parar de fumar aos poucos pode ser melhor do que abandonar o cigarro de uma hora para outra. Isso porque a abstinência é tão desagradável que muita gente acaba voltando ao vício não pelo prazer que ele causa, mas só para não sofrer os sintomas da falta de nicotina.

Usando exames de imagem, neurocientistas da Universidade de Copenhagen, na Dinamarca, descobriram que os fluxos de sangue e de oxigênio no cérebro caem 17% logo depois que a pessoa para de fumar. Isso provoca um quadro muito parecido com a demência, que pode durar semanas ou até meses.

Os pesquisadores explicam que o cigarro inicialmente aumenta a atividade cerebral. Mas os tecidos do cérebro logo se adaptam e o efeito desaparece, como explicam em um artigo publicado no the Journal of Cerebral Blood Flow & Metabolism. É o que leva o fumante a acender outro cigarro.

A equipe, liderada pelo neurocientista Albert Gjedde, diz que muitos ex-fumantes retomam o hábito apenas para manter o cérebro funcionando normalmente. Esse sintoma da abstinência se reduz aos poucos, mas os pesquisadores não sabem quanto tempo pode levar.

Eles comparam a situação ao que acontece com muita gente que toma certos antidepressivos. Depois de um tempo, o organismo se adapta e alguns indivíduos deixam de sentir os benefícios sobre o humor. No entanto, algumas pessoas não conseguem largar o remédio porque os sintomas de abstinência são muito desagradáveis, embora passageiros.

Para Gjedde, parar de fumar gradualmente pode ser uma forma de evitar esse estado que lembra a demência. Mas ele admite que ainda é preciso estudar mais o cérebro de fumantes e ex-fumantes para chegar a conclusões mais precisas.

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS