Pular para o conteúdo

Ideal é que TV e videogame fiquem fora do quarto (e o tablet também, à noite)

Jairo Bouer

14 de outubro


game700

Um estudo norte-americano mostra que crianças que têm TV ou videogame no quarto dedicam menos tempo à leitura e a outras atividades, além de dormir menos. Como consequência, elas apresentam um desempenho pior na escola, maior risco de obesidade e dependência de jogos eletrônicos, de acordo com o trabalho.

Psicólogos da Universidade do Estado de Iowa, nos Estados Unidos, acompanharam os efeitos desses aparelhos na vida de três grupos de crianças de diferentes idades e regiões, acompanhadas por períodos que variaram de seis meses a dois anos. Eles também descobriram que, quando o videogame fica no quarto, a propensão a assistir a programas e videogames violentos é maior, já que os pais não estão por perto.

Os resultados foram  publicados na revista Developmental Psychology. Naquele país, os jovens passam cerca de 60 horas por semana na frente das telas, o que não deve ser diferente do que ocorre no Brasil. Lá, mais de 40% das crianças de 4 a 6 anos têm uma TV no quarto, e a maioria daqueles de 8 anos ou mais têm ainda um videogame.

Tirar essas mídias do quarto pode ser uma batalha, portanto o melhor é evitar que elas entrem, em primeiro lugar. Seu filho pode pedir e reclamar, mas se você conseguir manter a decisão, ele poderá colher os benefícios a longo prazo. Com os tablets e smartphones esse tipo de controle ficou ainda mais difícil e, nesse caso, a dica é que os aparelhos fiquem carregando, desligados, fora do quarto durante a noite.

 

FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS