Quem resiste em aceitar as próprias emoções pode sofrer mais com elas

Publicado em Notícias

TPM700

A pressão imposta pelos outros e por você mesmo para ficar bem quando, na verdade, está mal, pode te deixar pior ainda. É o que afirma um grupo de psicólogos das universidades da Califórnia, nos Estados Unidos, e de Toronto, no Canadá. Os pesquisadores descobriram que quem aceita as próprias emoções negativas costuma sofrer menos com elas. A mania de julgar os próprios sentimentos só aumentaria o estresse psicológico e, como consequência, a frustração e a tristeza.

O trabalho, publicado no Journal of Personality and Social Psychology, contou com mais de 1.300 adultos norte-americanos, que tiveram sua personalidade analisada online ou em laboratório. Ao todo, foram conduzidos três experimentos separados, e fatores como status socioeconômico foram isolados para não interferir nos resultados.

Num dos testes, mais de 150 pessoas foram convidadas a fazer um discurso de três minutos em vídeo para um jurado, em que tinham que pedir emprego de uma forma sutil, promovendo suas habilidades e qualificações. Depois, cada um tinha que relatar o que havia sentido ao realizar a tarefa. Aqueles que costumam brigar contra os próprios sentimentos foram os que ficaram mais angustiados ao gravar o vídeo. Em outro experimento parecido, com mais de 200 pessoas, os participantes tiveram que falar sobre suas contas e impostos. E o resultado foi semelhante.

Os pesquisadores perceberam que as pessoas que resistem a suas emoções mais sombrias, e se julgam com dureza pelo que estão sentindo, são as que mais sofrem de maneira geral. Já quem aceita melhor seu “lado obscuro” tende a relatar menos sintomas depressivos, mesmo seis meses depois de uma fase ruim. Talvez o caminho para se incomodar menos com as chatices da vida seja exigir um pouco menos de si mesmo.