Puberdade precoce pode levar a contato com drogas mais cedo

Publicado em Destaque, Notícias

Crédito: Fotolia

Crédito: Fotolia

Garotos que entram cedo na puberdade têm risco mais alto de abusar de álcool e drogas na adolescência do que aqueles que demoram mais para entrar nessa fase, de acordo com um estudo da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos.

Os resultados, publicados no periódico Child Development, foram baseados no acompanhamento de 534 garotos brancos, norte-americanos, ao longo de 20 anos. Metade dos participantes tinha pais com algum tipo de problema relacionado ao uso de substâncias. Todos eles passaram por exames físicos e dosagens hormonais.

Quanto mais cedo um indivíduo se envolve com álcool, tabaco ou drogas, maior a propensão a desenvolver dependência mais tarde. Por isso a recomendação é sempre adiar o máximo possível o contato dos jovens com essas substâncias – mesmo motivo pelo qual é proibido vender cigarro e bebidas alcoólicas a menores de idade.

Os jovens que entraram na puberdade mais cedo no estudo, por volta dos 11 anos de idade, foram mais propensos a usar álcool e drogas aos 16 anos do que aqueles que entraram mais tarde.

Os níveis de testosterona sofrem uma elevação significativa durante a puberdade. É isso o que deflagra as alterações típicas, como aumento do volume dos testículos, aparecimento de pelos e mudanças na voz.

Alguns estudos sugerem que a substância acelera o comportamento de busca por recompensas. Assim, se isso acontece cedo demais, não haveria maturidade suficiente das áreas do cérebro envolvidas na tomada de decisões e controle de impulsos. Isso explicaria a relação entre puberdade precoce e uso de substâncias.

Outra teoria é que as características da adolescência levariam esses jovens a ter um tipo de interação social que estimularia o envolvimento com álcool e drogas. Mas este estudo mostrou que a elevação nos níveis de testosterona foram mais importantes que as mudanças físicas observadas nos garotos.

A relação não foi observada entre os participantes de outras etnias, mas os cientistas ressaltam que negros, de forma geral, tendem a entrar na puberdade mais cedo. Pesquisas anteriores com meninas também já trouxeram resultados similares. De qualquer forma, não dá para dizer que os hormônios mandam em tudo. Claro que fatores ambientais também contam para o envolvimento com álcool e drogas.