Projeto em escolas dos EUA ensina jovens a identificar depressão

Publicado em Destaque

Crédito: Fotolia

Crédito: Fotolia

Identificar sintomas de depressão num adolescente nem sempre é fácil para pais e professores, até porque a tendência a se trancar no quarto, dormir demais e se irritar com qualquer coisa são comportamentos considerados “normais” nessa fase da vida. Por isso, contar com os próprios jovens pode ser uma boa ideia.

Especialistas do Centro de Depressão da Universidade do Michigan, nos Estados Unidos, criaram um programa que prepara grupos de adolescentes de 15 a 17 anos, nas escolas, a entender esse transtorno mental, seus sintomas e consequências.

Em um estudo publicado na revista Psychiatric Services, pesquisadores da universidade apresentam alguns resultados obtidos por esses programas, até agora, em dez escolas públicas de 2009 para cá. Batizado de “Peer-to-peer Depression Awareness Program”, o projeto está disponível de graça na internet para escolas norte-americanas interessadas em implementá-lo.

Em primeiro lugar, os funcionários da escola são treinados pelos especialistas. Depois, eles selecionam cerca de 12 estudantes para participar do treinamento, que, por sua vez, ajudam a organizar a campanha de conscientização, com palestras para pais e alunos, rodas de conversa, apresentações de teatro e poesia, divulgação nas mídias sociais e até venda de camisetas e outros materiais promocionais.

A pesquisa de resultados, obtida a partir de entrevistas com 878 estudantes envolvidos no programa, mostra que os jovens se sentiram mais seguros para identificar sinais de depressão neles próprios e em colegas depois das campanhas. Eles também passaram a entender que o transtorno não tem nada a ver com falta de força de vontade, e se mostraram muito mais abertos a discutir o assunto com os colegas e a buscar ajuda, quando preciso.

Educar é um passo importante para acabar com o estigma em torno dos transtornos mentais, que, com frequência, têm início na juventude. Um estudo recente feito nos EUA mostrou que 7,5% dos adolescentes sofrem de depressão, e o problema pode levar ao abuso de álcool e drogas e também ao suicídio.