Eles estimam o número de parceiras, enquanto elas contam

Publicado em Destaque, Notícias

Crédito: Fotolia

Crédito: Fotolia

Quantos parceiros sexuais você já teve na vida? Se você fizer essa pergunta a um homem e a uma mulher, é bem provável que ouça números bem diferentes, ainda que ambos tenham tido experiências parecidas. O motivo dessa disparidade costuma ser o receio que se tem da opinião dos outros.

As mulheres costumam diminuir o total porque temem ser julgadas como fáceis ou vulgares (infelizmente, esse preconceito ainda existe na nossa sociedade), ou porque não querem que os parceiros se sintam diminuídos (infelizmente, também, alguns homens podem ficar melindrados pelo fato de a parceira ter mais experiência que eles). Os homens, por sua vez, gostam de contar vantagem.

Um estudo que acaba de ser publicado no The Journal of Sex Research confirmou essa tendência. Pesquisadores da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, analisaram as respostas de mais de 15.000 indivíduos de ambos os sexos, de 16 a 74 anos, sobre o assunto. Os resultados? As mulheres relataram ter tido, em média, sete parceiros sexuais ao longo da vida. Já os homens disseram ter ido para a cama com 14 pessoas diferentes.

Segundo os pesquisadores, alguns homens e mulheres apresentaram resultados bem diferentes da média – o número máximo foi 110, para eles, e 50, para elas. A exclusão desses casos reduziu a média geral, o que diminuiu a diferença entre os gêneros.

O interessante é que a estratégia para fazer a contagem também diferiu entre os sexos – enquanto as mulheres tentavam se lembrar de cada parceiro, os homens eram mais preguiçosos e propensos a chutar uma média.

Os homens também foram mais liberais nas opiniões sobre determinados temas. Eles foram mais propensos a dizer que achavam sexo casual “nada errado” (9% versus 18% das mulheres), por exemplo, ou a enxergar o sexo fora do relacionamento como “sempre errado” (65% versus 57%).

No Brasil, só por curiosidade, uma pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde em 2015 mostrou que mais de 44% da população sexualmente ativa teve mais de 10 parceiros ao longo da vida. Dez anos antes, essa proporção não chegava a 20%, o que comprova que houve uma mudança de padrão. O problema é que o uso da camisinha não tem acompanhado a nova realidade.